Entrevista com o grupo Klandestinos - #submundodosom

Posts

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Entrevista com o grupo Klandestinos

Interior de São Paulo, região de Campinas onde o rap sempre bateu forte, e continua fazendo eco e registrando sua marca na história. De lá vem o grupo Klandestinos, mais precisamente de Hortolândia, com letras otimistas e com lição de vida em cima de uma base pesada e discurso contundente, o Submundo do Som teve o prazer de bater um papo com os manos do grupo, se liga só:


Submundo do Som - Quem é o Klandestinos? Como surgiu o grupo? Há quanto tempo estão na estrada? 

Klandestinos: O Klandestinos é o Snake, Douglas, DJ Davi Frias e Jesus Costa, esta formação tem 4 anos e emergiu pelo amor a cultura Hip Hop, cada um dos integrantes já tem uma história dentro da cultura, o Snake é Ex-integrante do Ndee Naldinho com uma discografia extensa, o mesmo caso do Dj Davi Frias que é Vice campeão do DMC (Campeão Erick Jay) é também Ex-integrante dos grupos: Território Negro, Alvos da Lei, Nelson Triunfo e Funk e Cia, ainda, tocou com nome como: Dexter, Ndee Naldinho entre outros, O Douglas é ex-integrante do grupo Cidadão de Papel e Jesus Costa é ex-integrante do Grupo Inquérito, ou seja todos com uma certa experiência no rap Nacional, somando o tempo de carreira de cada integrante temos quase 100 anos (risos) 26 do Snake, 27 do DJ Davi, 22 Jesus Costa e mais 16 do Douglas, são 91 anos no total (risos).
Submundo do Som - Quais as inspirações da banda? Quais os grupos e estilos musicais que influenciaram?

Klandestinos: Ah são muitos, como podemos ver são pessoas que vivenciaram de perto os anos 80 e 90 já dentro do rap, as influências são as mais diversificadas, muitos nomes das antigas do funk, do jazz, Black music, R&B, muitas influências brasileiras, da MPB, do Sertanejo, do Samba e Samba rock, do rock e inclusive do rap, ou seja, musica! O grupo é bem eclético os gostos são variados se formos citar nomes aqui a lista é bem extensa (risos), o DJ Davi Frias é um colecionador de Disco de Vinil contando com mais 15 mil títulos, então imagina como são os nossos encontros, regado a musica!

Submundo do Som - Além do rap, o que passa no set list dos maluco da banda?

Klandestinos: Muito rap nacional e internacional, muita MPB, muito Samba, funk, jazz, R&B muita black music, um set list bem recheado (risos).

Submundo do Som - Qual a fita que mais difícil que tiveram que enfrentar como banda? 

Klandestinos: A falta de grana para bancar as gravações, para investir em divulgação, para acessar as mídias de grande massa, mas isso não fez com que desanimássemos, nós superamos tudo isso e estamos ai trabalhando bastante graças a Deus. O que estamos vivenciando hoje é uma realidade muito boa, estamos com musica “SP Terra da Oportunidade” inserida na grade do Espaço Rap da 105,1 a maior rádio comercial que trabalha com o gênero no Brasil, a musica vem andando bem e a aceitação vem sendo surpreendente, Estamos com as musicas “Os sonhos não envelhecem" e "O Barraco Treme” tocando nas rádios de Brasília, essas mesmas musicas acabam de entrar em programações de rádios em Porto Alegre, acabamos de assinar com a gravadora “Preta do Gueto” do rapper Ndee Naldinho, ou seja, estamos felizes com os resultados obtidos até aqui, e estamos trabalhando para alcançar ainda mais, estamos fazendo o vídeo clipe que trás algumas participações de renome do Rap Nacional, como: Thaide, Edi Rock, Ndee Naldinho, Sistema Negro, Realidade Cruel, Pepeu entre outros, em breve terremos novidades!

Submundo do Som - Qual foi o show e o momento mais marcante? 

Klandestinos: Sempre que falamos sobre isso emerge um certo saudosismo (risos), todos nós tivemos bons momentos e muitas experiências na caminhada antes do Klandestinos, sempre falamos dos shows, das ideias, das vivencias e tudo isso serve como alicerce para que possamos construir uma carreira consistente. O Klandestinos vem fazendo várias apresentações com o Ndee Naldinho, então, não paramos de correr o trecho (risos), são várias experiências cada viagem uma história, mas sem dúvida o momento mais marcante foi ouvir a galera cantando a  musica “SP Terra da Oportunidade”, isso foi de arrepiar e aconteceu em um show recente em Francisco Morato, acho que isso não tem preço é coisa de Deus!


Submundo do Som - Como a família de cada um reage sabendo dos corres da banda? 

Klandestinos: Como todos já conhecem as nossas histórias e já vivenciaram isso, não há muitas dificuldades, mas certamente os filhos são os que mais sentem a ausência dos pais, mas é um corre necessário, é um trabalho muito digno, oramos e colocamos as nossas vidas nas mãos de Deus a cada viagem, e seguimos tranquilos para as missões.
E sem o apoio dos familiares não seria viável trabalhar com a musica, a família é o alicerce é o combustível de fonte renovável que nos move.

Submundo do Som - Como é processo de composição do grupo? O que cada integrante contribui?

Klandestinos: Todos contribuem de alguma forma, os processos são vários e não somente compor, então tem muitas atividades e cada um contribui de alguma forma para que o resultado seja o melhor, o CD “Os sonhos não envelhecem” teve em sua maioria composições de Jesus Costa, entretanto teve co-produção do Snake e DJ Davi e algumas composições do Douglas, não vejo o grupo com esta vaidade de apontar quem escreveu mais ou quem produziu mais, buscamos a excelência no resultado final,  e é bacana ver que cada integrante entende a proposta de cada obra. Na somatória dos esforços sempre obtemos resultados bons e é isso que prevalece.

Submundo do Som -  Como é fazer música no interior paulista?

Klandestinos: Bem difícil irmão é desafiador, uma vez que a maquina não funciona em sua totalidade por aqui, dependemos de sinergia com outros eixos, mas vejo isso como um processo natural, é um mercado sempre foi assim. Na contramão das dificuldades vem muitas referencias e isso só enriquece o movimento Hip Hop, São Paulo é um polo da musica e o interior tem que correr para expor seus trabalhos. Mas isso não é um empecilho musica boa pode surgir de qualquer lugar e no rap (dos interiores do Brasil) temos muitos exemplos.

Submundo do Som - Qual a responsa de fazer rap no interior de São Paulo. De onde saiu Sistema Negro, Face da morte, Visão de Rua, Inquérito dentre outros?

Klandestinos: Muito grande, afinal são ícones, são referencias nacional, e isso faz com que a responsabilidade aumente e nos faz ter mais atenção no que estamos compondo e colocando nos CD´s. Mas não nos assustamos com isso e sim tiramos proveito, afinal o interior é o berço de grandes nomes, e temos o privilégio de conviver com esse pessoal, e isso é fantástico, eles acabam nos fortalecendo e nos deixando cada vez mais livres para criar e produzir irmão, então é trabalhar com afinco!

Submundo do Som - Como são as festas, festivais e encontros de rap na região?

Klandestinos: Pesados, algumas festas já são tradicionais no calendário, arrastando multidões para os eventos, vejo o movimento crescendo, não digo que é revival do que foi os anos 90, são novos tempos, com um perfil jovem ou seja uma nova tipificação de publico que se mistura aos conservadores. São festas lindas bem organizadas e bem estruturadas.

Submundo do Som - A música é o Vulcão, que tem participação do Mano Ed do Face da Morte e do Robsão do Lado Oculto, além dessa participação, tem mais alguma em mente pra fazer junto com os manos do Face da Morte? (Por serem da mesma cidade).

Klandestinos: Somos bem próximos e temos uma relação muito boa, quando começamos a fazer o CD “OS sonhos não Envelhecem” íamos fazer uma musica, mas acabamos postergando esse projeto e isso deve ocorrer no próximo disco.

Submundo do Som - A letra de “SP Terra de Oportunidades”, fala da imigração de pessoas de outro estado para essa metrópoles que é a cidade de São Paulo, e sabemos que a periferia é formada por essa miscigenação de raízes, grande parte nordestinos e sertanejos, como é essa relação? O preconceito que vemos, principalmente nas redes sociais, existe na quebrada, de vizinho com vizinho? Ou é só quando saímos da favela em direção ao centro que essas fitas acontecem?

Klandestinos: A periferia nós vemos pobreza, violência, falta de estrutura entre outros adjetivos, mas uma coisa que vejo como positivo é o calor humano, só na periferia nós vemos isso, independente do estado de origem. Vejo o respeito pelas vertentes, São Paulo é 80% sertanejo e nordestino e cada um com seus gostos preservados, Eles se adaptam a realidade da grande Metrópole, entretanto quando falamos de cultura ai é a Metrópole que se adapta a esta diversidade de cultura. Nesta música fomos muito felizes nesta abordagem, e de certo modo é uma maneira de homenagear este povo que transforma São Paulo no dia a dia.


Submundo do Som - As músicas do Klandestinos traz mensagens positivas, principalmente em Astronauta da Lama, da onde sai inspiração para as letras de final feliz? Nesse caso é uma letra real?

Klandestinos: Sim, a positividade é nosso lema, apesar de vivenciar de perto algumas coisas não tão positivas, nós conseguimos canalizar isso e expor o nosso pensamento de maneira integral e o Grupo pensa assim, ai fica mais fácil ir por este caminho. Falar positivamente é a maneira que achamos de contribuir com a sociedade.
Quanto a letra Astronauta da Lama, sim, é uma história real, hoje nós temos uma amizade com o personagem que inspirou esta musica, ele é de Natal – RN e atualmente mora em Fortaleza e estuda na Universidade Federal de lá, exemplo como o deste menino nos faz acreditar que somos capazes, ao externar isso alimentamos nas pessoas a vontade de vencer por este caminho, ou seja, mostramos que a Educação é o caminho certo a ser seguido e que a transformação social começa pela Educação.

Submundo do Som - Hoje o rap nacional é um senhor de 40 anos, tem espaço para todo tipo de letra? As letras, no geral, mais dançantes, dos novos grupos, afirmam que as letras de cunho politico e de protesto ficaram nos anos noventa? O que a banda pensa disso?

Klandestinos: Penso que a cada dia acontece um fato novo que pode inspirar a criação de uma canção. Os temas são abertos e somos responsáveis por aquilo que transmitimos, creio ser possível fazer um protesto com ritmo dançante, mas prefiro deixar que o público decida o que é bom ou não. Nos anos 90 o rap estava muito forte, mas hoje não é diferente, e o bacana é que temos mais rap´s românticos, mais rap´s dançantes, mais rap´s ostentação e mais Rap´s conscientes, ou seja temos de tudo mas no final o público é quem decide.

Submundo do Som - E a relação RAP vs TV? Como o Klandestinos vê isso ai em 2016?

Klandestinos: TV não é o bicho papão é um veiculo de comunicação que atinge a grande massa, temos que ocupar os espaços e a TV pode contribuir no processo de popularização do Rap Nacional, não vejo uma relação RAP x TV, vejo que o RAP está cada vez mais buscando este canal de comunicação, vemos como positivo esta iniciativa, é hora de ocuparmos estes espaços e levar o Rap cada vez para mais pessoas no Brasil a fora.

Submundo do Som - Em 2016 o rap está mais forte que qualquer outro ano atrás?

Klandestinos: Cada época tem seu momento bom ou ruim, nós vivenciamos os anos 90 e vimos um mercado aquecido com a comercialização de CD´s, vários shows, e tudo mais, hoje em dia com a globalização e a democratização de espaços, temos muita informação em um clique, isso acaba distanciando um pouco o publico do artista (do contato físico) e passa a aproximar o publico do artista (no contato virtual), fora que são muitas informações por minuto.
Vejo que este momento é um momento de avanços e que temos que nos preocupar em usar todas as tecnologias para ofertar o nosso produto, isso quebra a segmentação que tínhamos do rap, hoje temos o mundo inteiro ouvindo rap, é a musica mais ouvida no planeta, agora é saber tirar proveito e fazer de um limão uma limonada, e isso pode marcar uma nova era. Mas ainda vejo os anos 90 como a época áurea do rap, e como diz o Thaide “Que tempos bons que não voltam nunca mais” agora é fazermos da atualidade nos tempos para o rap.


Submundo do Som - Não dá pra separar, quando falamos de rap, automaticamente falamos de politica, por que as letras são de denúncia, são de problemas sociais, o que o grupo pensa sobre isso? 

Klandestinos: Escrevemos muito sobre isso, em suma vivemos as questões sociais, as questões de preconceito, as lutas de classes, a questão ampla da violência, o retrocesso educacional, o retrocesso institucional e de relacionamento, e isso tudo é alimento para a criação de uma letra de rap. O surgimento do rap no Brasil veio com sátiras, mas o momento que o fez crescer muito e ganhar visibilidade foi o surgimento do Racionais com abordagem protestante e isso transformou o movimento como um todo. Você vê que o Hip Hop é um movimento social? Ou um movimento cultura? não é bem complexo? Você vê que somos uma cultura que vamos além do relacionamento de produto e consumidor? Vários artistas se engajam nas questões e na transformação social, no Grupo Klandestinos eu (Jesus Costa) sou Assistente Social em uma Ong que atende mais de 400 crianças e adolescentes, ou seja, saimos do discurso e passamos para a prática, estamos cansados de esperar as politicas publicas alcançarem essa população em sua maioria em Vulnerabilidade Social, os artistas se mobilizam e criam opções, trabalhando no resgate e na preservação de vidas, uma atividade como aula de violão em uma comunidade com altos índices de homicídios, contribui com a mudança desta realidade.

Submundo do Som - O que pensam sobre o atual cenário politico no Brasil, com tudo que aconteceu nos últimos meses, e o cenário no mundo, principalmente com o resultado das eleições no EUA?

Klandestinos: O Cenário politico no Brasil nós vemos um puta retrocesso, decepcionante você depositar sua confiança em algo ou alguém, e depois ignoram o que você é ou o que você representa, assistimos um golpe aplicado pela classe burguesa e aceitamos em tom inerte. Assistimos uma total inversão de valores, professores apanhando, médicos sofrendo agressões e não priorizando salvar vidas, falcatruas em todas as esferas do poder público, milhões e milhões sendo desviados enquanto a população pena em filas, isso é humilhante.
E nos EUA também assistimos o retrocesso, elegerem um burguês racista é de deixar o mundo de cabelos em pé, mas em suma temos muitos problemas por aqui e não gostaria de nos formarmos muitos nos problemas alheios (risos).

Submundo do Som - O que vocês gostariam que as autoridades fizessem pelas quebradas e pelo rap?

Klandestinos: Melhorasse a qualidade de vida da população, melhorando a Saúde, a Educação, o Esporte e promovessem acessibilidade a bens como moradia, e equipamentos públicos como praças, campos, academias ao ar livre etc, ou seja um país com igualdade. Trabalhassem com afinco pela erradicação do racismo, pela distribuição de renda, pela ressocialização de reeducados, que o Brasil possa ser um país de todos de verdade.  

Submundo do Som - O que significa o disco Os Sonhos não Envelhecem para a banda?

Klandestinos: O titulo fala por si só, somos da velha guarda do rap e isso justifica o titulo do CD (risos), já vimos tanta coisa pelas periferias Brasil a fora que nossa contribuição em caráter de melhoria é este CD, se não podemos transformar tudo podemos incentivar a todos pela transformação. O disco significa esperança, vida, sonho, realidade, conquistas, desprendimento, incentivo, autoestima, amor, respeito, lealdade e muito ritmo (risos).

Submundo do Som - Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação ao grupo? 

Klandestinos: Conquistar o nosso espaço e trabalhar bastante, sempre respeitando os espaços dos outros e os trabalhos dos outros, colocar o nome do Klandestinos no rol dos grandes grupos, e ver a nossa musica contribuindo para a transformação de comportamento e de realidade.

Submundo do Som - Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho do Klandestinos.

Klandestinos: Juntos podemos fazer a diferença e contribuir por um dia a dia melhor, acredite em você, acredite nos seus sonhos, acredite que você conquistar o mundo, acredite que você é o melhor soldado desta batalha e que o amor sempre vai vencer o ódio.
O grupo Klandestinos precisa de vocês para fortalecem a nossa cultura e o nosso trabalho, sem vocês não faz sentido existir o Klandestinos.
Obrigado por tudo e pela atenção, um grande abraço a todos.

Submundo do Som Deixe ai os contatos para quem quiser falar com o grupo.

Klandestinos: Estamos a disposição de todos através das redes sociais:
Instagram: @grupoklandestinos;
Fanpage: grupo Klandestinos;
Youtube: GrupoKlandestinosOficialTV;
Fone: 019 99630-2278 (Jesus Costa).

Ouça agora:

Nenhum comentário:

Postar um comentário