Entrevista com a cantora e compositora Jukaju - #submundodosom

Posts

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Entrevista com a cantora e compositora Jukaju

O Submundo do Som trocou uma ideia com a cantora e compositora Jukaju, que buscou inspiração no caju para fazer sua arte, trazendo influencias do nordeste, do manguebit, e da alma, a artista bateu um papo conosco para falar da sua história, o vídeo clipe "Manguear" e dos seus planos para o futuro, se liga aí:

Submundo do Som - Quem é a Jukaju? E da onde veio o nome artístico, e porque essa forte relação com o caju?

Jukaju - Bem, a Jukaju é uma artista, é uma enviada em missão religiosa e espiritual também. Essa missão está em expor, através da música e da arte, algo que é muito especial para todo brasileiro: o caju.  O caju é uma fruta linda e muito cheirosa, 100% brasileira. Eu simplesmente descobri, em 2010, um lugar mágico na face da terra. Esse lugar fica no Rio Grande do Norte. É a cidade de Natal e região. Eu fui impactada com tanta beleza natural e cultura. E lá também reside uma árvore mágica!! O maior cajueiro do Mundo!! Imagine! É fantástico. Você que não conhece precisa conhecer rs.

Logo, o nome Jukaju é um anagrama de meu primeiro nome, que é Juliana, + a inspiração que tive através do maior cajueiro do mundo. Essa viagem foi muito marcante para mim. Foi a primeira vez que fui ao nordeste, era um grande sonho meu. Depois de um tempo, resgatei uma lembrança de infância que me confirmou a ligação religiosa e espiritual com o nordeste: eu fui batizada aos 3 anos de idade na igreja católica e o meu padrinho é do Piauí. Ele me abençoou ainda criança com essa energia amorosa e alegre que emana do caju. O estado do Piauí é um dos estados que mais produz caju no Brasil e a Cajuína do Piauí recebeu o título de patrimônio Cultural Brasileiro.
Gostaria de reencontra-lo, pois tem mais de 20 anos que não vejo meu padrinho, o Paulinho.
Obs.: Eu nasci na cidade de São Paulo.

Submundo do Som - Quais suas influências na música?

Jukaju - Eu acho muito difícil de enumerar. Pois cada música que eu faço pode ter diversas influências nacionais ou internacionais. Mas existem algumas que são muito evidentes. Por exemplo, Chico Science & Nação Zumbi, Luiz Gonzaga, Alceu Valença. Dorival Caymmi, Tom Jobim.

Submundo do Som - Como é o processo de composição da Jukaju, o que te inspira?

Jukaju - Normalmente eu faço a música e a letra de uma tacada só, e só uso a intuição.  Me vem a melodia através do canto. Depois eu faço a harmonia buscando os acordes no teclado. As letras e os temas, são o amor misturado com gastronomia, temas tropicais. Percebi que tenho muitas músicas com letras exaltando a gastronomia.
“Essa missão está em expor, através da música e da arte, algo que é muito especial para todo brasileiro: o caju” - Jukaju

Submundo do Som - O que o Manguebit significa pra você?

Jukaju - Significa algo visceral. A primeira vez que ouvi Chico Science & Nação Zumbi eu estava numa balada em frente à praia e foi muito intenso.  A música me impactou fortemente. E eu dancei loucamente! O movimento em si é algo importantíssimo tanto do ponto de vista cultural quando ecológico. E, nós temos também o projeto voltado para o MangueBit, a banda Jukaju & Mangue Mangas que é composta somente por mulheres. Nós realizamos o Festival Praiano Manguear em maio de 2017, é uma banda feminina composta pela Jukaju, Manga Clara, Fernanda Cabocla e a Carlinha.

Submundo do Som - Como é a relação da carreira artística da Jukaju com a família? Eles apoiam?

Jukaju - Atualmente eu tenho apoio dos meus pais sim, porém no começo foi difícil de eles acreditarem na minha carreira.

Submundo do Som - Como foi gravar o clipe da música "Manguear"?

Jukaju - Foi ótimo. Me fez crescer, amadurecer, enfrentar um empreendimento. Fizemos um financiamento coletivo que rendeu em torno de R$2.000,00 (dois mil reais). E foi eu mesma que cuidei de quase todos os detalhes. Tive apoio de algumas pessoas queridas que acreditaram na minha arte. No dia da gravação foi maravilhoso, pois a praia tinha sol e o mar tinha belas ondas também. Eu vivi intensamente a vendedora de castanhas e a turista durante a filmagem, que durou um dia. Foi o dia 1 de maio de 2016. Feriado do dia do trabalhador, que tem tudo a ver com a letra da música Manguear que elogia os trabalhadores praianos.

Confira abaixo o clipe da música "Manguear":


 Clipe Manguear

Submundo do Som - Como você define o estilo musical da Jukaju?

Jukaju - Música para o paladar. Antropofagia musical.
“O caju é uma fruta linda e muito cheirosa, 100% brasileira” - Jukaju
 
Submundo do Som - O que você ta ouvindo no momento, o que você curte ouvir e o que você pode indicar para os nossos leitores?

Jukaju - Bom estava ouvindo João Bosco no exato momento em que comecei a responder a entrevista. Realmente ele faz uma música muito rica, temos que ter orgulho de nossa música. Eu sou eclética, e quando estou em casa ouvindo música posso colocar estilos completamente diferentes, pois eu amo música. Sou fã do Gonzaguinha, filho de Luiz Gonzaga. Internacional eu gosto de ouvir The Police, Madonna e pop americano. Indico a Céu, essa cantora linda e esplêndida.  Indico meu amigo, o cantor pernambucano mais conceituado da soul music no Brasil, o imorrível Di Melo. Estive num show do Baiana System e gostei muito também.

Submundo do Som - E o que a Jukaju está preparando de novo para seu público?

Jukaju - O mais esperado é o EP Homônimo Jukaju. Também tem ideia para vídeo clipe novo, da música "Desfrute". Eu sou artista independente e estou tendo dificuldades para administrar a carreira naturalmente. Gostaria de já ter entregue mais conteúdo para meu público, meus fãs que me apoiam. Queria agradecer muito o espaço aqui no site Submundo do Som.
“No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento. E o sol quarando nossas roupas no varal" – Alceu Valença

Submundo do Som - Quais os sonhos que a Jukaju pretende realizar como artista?

Jukaju -Tenho o sonho de instituir um espaço temático da Jukaju, relacionado a gastronomia ligada ao caju, que é muito extensa. Quero que meus fãs experimentem a famosa “Carne de Caju” enquanto ouvem a música mais emblemática do Alceu Valença; a famosa Tropicana ou que comam os diversos sabores que a castanha-de-caju consegue se apropriar e muito mais.

Submundo do Som - Pra galera que está lendo essa entrevista, que mensagem você deixa?

Jukaju - Alimentem-se bem! Conheçam a história da música Cajuína, composição do Caetano Veloso.

Submundo do Som - E pra quem quiser entrar em contato, quais os canais?

Jukaju - Inscrevam-se no canal  https://www.youtube.com/user/jukajumusica
https://www.facebook.com/jukajuoficial/
jukaju.cultura@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário