Entrevista com o grupo VND - O Rap forte de Amparo e Pedreira - #submundodosom

Posts

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Entrevista com o grupo VND - O Rap forte de Amparo e Pedreira


O Submundo do Som trocou uma ideia com o grupo VND, com integrantes de Pedreira e Amparo, mas com uma raiz em sampa! Nesse papo falamos da origem do grupo, da história do nome, que é bem interessante por sinal, falamos da correria do grupo, das inspirações, o rap no interior, a cena 019, e sobre a participação do grupo na V.A. - O Rap Que Vem do Interior, do selo Dz9 Records, encabeçado pelo produtor musical Danilo Amâncio. Falamos também de sonhos, sobre os planos para o futuro, além é claro de muito rap! Confere aí:

Submundo do Som - Quem é o VND? Qual a trajetória do grupo até aqui? Se apresenta aí pra galera

VND - VND é a junção de Virtude Negra e Dogma, virtude negra e um grupo que foi criado em meados dos anos noventa ,onde na sua formação original tinha Eu Barah, Anderson vulgo Padre (in memorian), e a Negra Li que na época cantava com a gente.

Hoje o grupo é formado por dois vocal masculino, Barah e Jack, e dois vocal feminino a Erka e a Taí, só lembrando que as minas não é só refrão e backing vocal não! Elas rimam e escrevem letras também!

Submundo do Som - A Negra Li do RZO?

VND - Sim, o Virtude Negra ele começou na Brasilândia, e era eu, o Padre e mais dois amigos nossos. Daí saiu uma backing vocal e entrou a Negra Li. A gente foi criado junto, estudou junto, morávamos no mesmo terreno praticamente, eu fazia as músicas e passava pra ela cantar os refrões pra ver se ia encaixar na nossa backing vocal. Aí quando a backing vocal saiu a Negra Li entrou. Em uma das apresentações do Virtude Negra, os cara do RZO viu ela e chamaram pra cantar com eles, ai ela seguiu a vida dela e nós continuamos com a nossa.

Submundo do Som - O Virtude Negra chegou a dar uma pausa na carreira né? Como foi isso? 

VND - O Virtude Negra depois de um tempo parou lá em São Paulo, foi um tempo até que eu entrei no exercito, um dos nossos integrantes, o Padre, ele faleceu. Foi depois de um show que ele fez, na verdade eu nem estava nesse dia, ele desceu do palco e atiraram nele, era uma quermesse, e desse dia em diante o Virtude Negra parou.

Submundo do Som - E como o grupo saiu da Brasilândia, na Zona Norte de sampa, e chegou no interior? 

VND - Eu e o Jack, a gente morava em São Paulo, eu morava na Brasilândia e ele morava em Parelheiros, na Zona Sul, aí nós dois viemos para amparo. Foi em 2006 pra trabalhar aqui em Amparo, e ficamos, viemos trabalhar numa empresa e ficamos pra cá. Nessa época eu não cantava mais, tinha acabado o Virtude Negra e eu não cantava mais.

Submundo do Som - E como foi retomar como o grupo? 

VND - Depois eu conheci um pessoal que cantava rap aqui, que é o pessoal do Sistema Unido, que é um grupo de rap aqui da cidade. Comecei a cantar com eles, eu e a Mina K, mais o pessoal do Sistema Unido. Cantamos com eles uns três anos diretos, aí ouve uma quebra no grupo e eu e a Erika saímos, e aí eu voltei com nome Virtude Negra.

Submundo do Som - Aí nesse momento voltou com o nome Virtude Negra. E o Dogma? Onde que ele entra nessa história? Como o nome passou a ser VND?

VND - O Jack ele não tava cantando com a gente ainda. Começou, novamente, eu, a Erika e o DJ Cesar, ficamos com o Virtude Negra, só que daí precisávamos de mais um vocal, conversei com o Jack, por que ele cantava, ele faz umas letras, e ele entrou para o grupo, e a Taí, Taí Genon, também entrou para o grupo. E eu tinha um projeto de mudar o nome de Virtude Negra para um outro nome, por uma questão comercial, e também para abrangir mais gente e também pra desvincular um pouco desse nome Virtude Negra, mas na verdade não consegui, por que em São Paulo o Virtude Negra é muito conhecido, principalmente na Brasilândia. E a gente tinha colocado o nome Dogma, paramos com o nome Virtude Negra e colocamos Dogma, mas aí começou a ficar uma confusão: uns falava Virtude Negra, outros falavam Dogma, ai tomamos a decisão de manter o Virtude Negra, manter o Dogma, mas transformar numa Sigla, o VND, e foi aí que surgiu o VND.

Submundo do Som - E quais são as influências e inspirações do VND? O que vocês absorvem e colocam no som do grupo? 

VND -  Eu como sou da das antigas rsrs, tenho como inspiração os sons das velha guarda mesmo, como GOG, Racionais Mc's, DMN, Consciência Humana, escuto também muita MPB da das antigas, como Branca de Neve, Bezerra da Silva e por aí vai.

Submundo do Som - E como é o processo de composição do grupo? Como nasce uma música do VND?

VND - Nos temos uma liberdade quanto a esta parada das composições, cada um faz seu som seu estilo sua letra, aí depois decidimos qual se encaixa melhor na filosofia do grupo.geralmente o que acontece é que quando algum integrante vem com uma ideia que foge muito do ideal do grupo nos discutir e tentamos fazer com que a música entre no repertório com algumas alterações.

Submundo do Som - Como é fazer rap no interior de sampa? Quais as dificuldades? As alegrias? Compartilha um pouco conosco.

VND - Fazer rap no Interior e para os fortes rsrsr, aqui nos nadamos na contramão total, porque o que predomina é sertanejo, música eletrônica e agora o funk. As casas noturnas não dão espaço para os artistas de rap, achando que não não tem público, na verdade rola muito pré conserto ainda.

Submundo do Som - 2018, e como vocês veem o rap nos dias de hoje? O que o VND acha que tá legal e o que, na opinião de vocês, poderia melhorar? 

VND - O rap está bem evoluído, o cenário está fortalecido com os novos artistas em destaque, como Emicida, Projota, 3030, Costa Gold, e etc. Eu acho que é a evolução do movimento estes caras conseguiram entrar na mídia e mostrar o rap para o Brasil,coisa que a anos atrás era mais difícil.

Acho que ainda falta mais divulgação do rap no interior acho que nas rádios também ainda é pouco o número de projetos de grupos novos de rap, isto poderia melhorar.

Submundo do Som - O VND é um dos grupos participantes da coletânea V.A. - O Rap Que Vem do Interior, da Dz9 Records, como que é para o grupo participar desse trampo?

VND - Para nós é um prazer enorme,no satisfação, é um projeto muito bom que venho na hora certa para divulgar o rap do interior,vamos para cima deles rsrs.

Submundo do Som - E como chegou o convite para participar desse projeto, que é o V.A. - O Rap Que Vem do Interior, e que reúne vários rappers da cena 019?

VND - Cara veio através de um amigo que me falou do projeto aí entrei em contato, postei nosso vídeo clipe "Apocalipse Now" e graças a Deus hoje estamos juntos no projeto.


Vídeo clipe "Apocalipse Now"

Submundo do Som - E como que o VND ta chegando pra esse trampo da Dz9 Records? O que vocês prepararam para o disco?

VND - Estamos trazendo o som "Liberdade", que é um som nosso já conhecido principalmente em São Paulo, e que a galera está a coisa esperando este trampo.


Versão da música "Liberdade"

Submundo do Som - Esse disco V.A. - O Rap Que Vem do Interior,  faz parte de um projeto do selo Dz9 Records, que tem a intenção de movimentar  a cena musical da região 019. Na visão de vocês, qual a importância de um projeto como essa para a cena 019?

VND - Muito importante, porque como dissemos aqui no interior a cena ainda é pouco divulgada, temos que fortalecer e fazer o povo da região conhecer e prestigiar as artistas do interior, a maioria dos grupo faz mais trampo fora do que aqui na região. É o outro lado é que vai levar para fora a força do rap da 019.

Submundo do Som - E quais os sonhos que o VND ainda querem realizar? 

VND - Muitos e todos kkkk, irmão queremos o nome VND seja conhecido no cenário, e junto com os manos todos da V.A. Levar nosso som nossa mensagem para todos os cantos e acreditamos muito no projeto da ,V.A.

Submundo do Som - Mano, para aqueles  que buscam ouvir um som firmeza, o que vocês podem indicar pra rapaziada?

VND - Opa! Eu escuto muito GOG, acho o som dele pesado Eduardo, Dexter, RZO, e também gosto de ouvir MPB, Maria Rita, Caetano, Seu Jorge, etc. Acho que quem gosta de música tem que escutar de tudo um pouco.

Submundo do Som -  Além é da faixa no projeto V.A. - O Rap Que Vem do Interior, o que mais vem de novo do VND?

VND - Estamos terminando um projeto nosso, logo sai um. Novo videoclipe da música "Frenética Mil". Acho que a galera vai curtir muito, vamos vir com uma pegada um pouco diferente dos últimos trabalhos que lançamos na internet, vai vir mais pesado mais gangster!


Submundo do Som - Pra galera que tá acompanhando esse bate papo, que mensagem vocês deixam pros manos?

VND - Antes queremos agradecer o projeto por creditar em nós e dar este espaço para divulgação da cena 019, e falar que acompanhem a V.A. - O Rap Que Vem do Interior, que só tem grupo fera, tudo irmão. Paz, Fé em Deus, correr pelo certo sempre  que juntos vamos fazer a diferença é levar o som da nossa região para todos os cantos união sempre.


Submundo do Som - E pra rapaziada que deseja acompanhar o grupo VND, como que faz? Quais os canais de comunicação?

VND - Acompanhe-nos pelas redes sociais, no Facebook é Virtude Negra, no Instagram acha a gente lá como VND, tem trabalhado nosso no YouTube só procurar por Virtude Negra Dogma. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário