Mangueando Vou do Enidê MC - #submundodosom

Posts

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Mangueando Vou do Enidê MC


O rapper Enidê MC lançou a mixtape "Mangueando Vou" que comemora uma marca importante, a 12.000 cópias vendidas de mão em mão, se liga que esse número não tá errado não! Estamos na era digita, com consumo de músicas nos serviços de stream e o mano vendeu mas de 12.000 cópias, é um feito para comemorar sim!

O titulo do álbum "Manguear" vem de fazer arte e colher os frutos dela, ou seja viver daquilo que se produziu artisticamente, e para isso é fundamental o contato com as pessoas, e assim foi a  peregrinação de Enidê pelas ruas, metrôs, pistas de skate, eventos, bares e por uma par de  batalhas de freestyle pelo Brasilsão e pela América do Sul, pois o mano esteve em mais 100 cidades dos países vizinhos, o percurso do  "el peregrino callejero" inspirou na concepção desse projeto, que mescla o espanhol em suas rimas, cuja cada linha foi escrita com o suor que foi derramado de verão a verão, nas calçadas latinoamericanas, em letras, que abordam temas de cunho social, espiritual e motivacional. Deixando explícito a influência do Reggae e dos Afro-latino em suas composições instrumentais.


O disco conta com beats de uma galera de peso como o de Speed Freaks, sim o Speed da dupla Black Alien & Speed, e que colava com o Planet Hemp (in memorian), Neto Síntese, cria do Vale, Mestre Xim, Rodrigo Tuchê, Rato, AmandesNoBeat, Axel Alberigi (A.X.L) e Du Brown (Duto Rj). E tem participações também do DJ 3D, que faz um corre junto com a Tássia Reis, do coletivo Rimas & Melodias, e no projeto Vale em 3D, o DJ Estevão, do 16 Tolenadas, Don Capuccino, do Moustrack e o Junnior Zyon. E a produção e organização do disco ficou na conta de Bruno Alvarenga.

O disco abre com a faixa que dá título ao álbum "Mangueando Vou" que aborda justamente essa peregrinación, e traz respecto a los hermanos com versos em portunhol, numa forma de dizer que estamos todos juntos! No hay fronteras. O beat é do Rato, que tem uma empolgante guitarra latina que traz a suavidade da música:

"Callejero senti que a missão é conhecer 
la tierra, mas sem dominá-la!
Só auxiliar quem nela habita, irmãos
levo a ciência de la vivência em mãos
Num formato para audição
Da ótica de um faminto de oração
Leve e eleve su percepção
Se ponha na obra e sinta o coração meu
A ti palavras malako si, con respecto
Analise o vigor mano, esqueça os defeitos!"

Na faixa dois, temos "Amununai", com instrumental pesado de Tuchê, em um beat vibrante e bem animado para falar das brisas erradas no mundo das drogas e traçando um paralelo que a verdadeira brisa está em outras coisas, como os livros ou a meditação nos montes, pega a visão man:

"Hey, hey borracho que pasa?
Para de Tumultuar na praça
Te vi ali, louco com os manin
Mó chiclete, cara torta, vodekera, enfim...
Amununai deu tombo nos caraminguás
na gaveta da padaria e pa, pra pipar pedra
Digo, sofreste zumbido, menino para
pisou, levou na cara!
a palmada na vida não te ensinou?
Que pasá? de lá pra cá só piorou!"

A faixa 3 é "Resista", que vem com scratches de DJ Estevão e instrumental produzido por AmandesNoBeat e feat de Jr Zyon, numa letra que fala sobre a busca pela evolução através da concentração e do agradecimento:


"As vezes pecamos sim no tom
E quem condena não transpira a perfeição
Jão, as águas que desperdiçastes podia
ser a fonte que um dia te serveria
Para revigorar, para se salvar e se livrar
de algum revés em algum lugar"

Na faixa seguinte temos "Aviso Prévio" com beat, viciante, de A.X.L (Rua do FLOW) e scratches de DJ 3D, em letra introspectiva que fala como se deve buscar a elevação, sendo necessário a purificação interna, e que é fé é fundamental para tal procedimento:


"A Tempestade que está por vir
Sabedoria para não se afogar
Adorai o céu com atenção dobrada
Para se sentir e escutar a instrução sagrada
A sujeira embaça a percepção
Que te ajuda no processo de elevação"

"Tapete Branco", é a canção 5, que vem com participação de Don Capuccino, e beat de Du Brown, com destaque para a guitarra que se encaixa em momentos oportunos no instrumental, assim como o chocalho utilizado para transmitir o clima da música, chocalho de cobra venenosa, indicando perigo, o perigoso caminho das drogas, da droga que mata en todo el mundo:


"Truta a pedra fere, mas o pó rasga a estrutura tru!
La blanquita, la blanquita...
La blanquita más cruel del mundo
La blanquita, la blanquita...
Mis hermanos mueren por ella!"

Seguindo vem a faixa "Levitã", com beat introdutório dançante e com ritmos latinos, e o beat que acompanha a letra na mesma pegada, criado pelo produtor Rato, em letra que fala sobre o Estado, como soberano absoluto e com poder sobre a população, e dividindo de forma injusta o bolo:


"Quando percebo correntes quebrando mano
Prevejo uma cilada, chapei!
Isso é um esgoto monetário
Não sei quem começou o processo retardatário
Ou sei! Sei! Sei! Sei!
Pouco tempo temos
Não podemos perder tempo que nós não temos"


Vídeo Clipe de "Levitã"

A faixa 7 tem beat daqueles pra cima, feito por Mestre Xim, e nessa track Enidê fala do peso mundo em nossas costas, e de como nos sentimos sobrecarregado com as coisas do cotidiano, mas que é importante saber que depois da tempestade haverá sempre a "Bonança": 


"A bonanza vem que vem que vem sei que a...
a bonanza vem que vem para quem semeia o bem!
cantai do monte a babylon
o mandamento é mesmo é a mesma canção
mano a palavra é pa para quele que escuta
o efeito chega para aquele que levar para si
e vencer esse auto breu 
episódio do mesmo filme que o seu"


Vídeo clipe de "Bonanza"

Na música oito Enidê acende um "Incenso", com a participação de Cláudio Márcio de Souza Santos, o eterno SpeedFreaks, que nos deixou em 2010, é dele que vem o beat, com a alma underground com piano marcante e peso do grave na bateria. Nessa letra que fala sobre o poder curativo das ervas: "Cannabis sativa é a cura, o homem é que envenena essa agricultura"; 


"Já disse a saudosa Teresa de Calcutá
A melhor ocupação claro que é trabalhar
Não quer trampar e diz que fala com Jah
Mas não compreendeu o criolo e a missão
Leve a mente para lugares que ela não foi para buscar
conhecimento e trazer para quem não pode alcançar"

A penúltima faixa é a "Mansão de Areia", novamente com beat do loco Speed, e novamente participação de Jr Zyon, que traz um refrão puxada para o ragga, a canção fala sobre a ausência de elevação de espirito e sobre a falta de correr atras de coisas que podem trazer a proximidade com Jah:


"A babilônia te traz insônia...

A ociosidade o deixa sem vergonha
No agarro el microfono para rimar la tontería
yo estou buscando Jah
água é vida e a missa é saudar
o dom acesso para outra sala acessar"

Fechando o álbum temos "Natura", cujo o instrumental foi feito pelo Neto, do Síntese e traz a essência da cena 012, do belo Vale do Paraíba, e esse beat se encaixa perfeitamente na letra que fala da conexão do ser humano com a natureza:


"Alivio é inteirar-se com a natureza
e sentir o mal ir pela correnteza
essencial é buscar a natura
relaxar a consciência mano a altura
o verde é vida nova que eu vejo
a esperança é a mudança mano que eu almejo"

O Enidê MC é letrista, freestylero, jornalista, arte-educador, além de rapper, pra quem não tá ligado na caminhada do mano, ele lançou em 2009 seu primeiro trampo solo, em perceria com a leda Speed Freaks, e em 2013 colocou na rua a ep “Os Fatos Não Se Esgotam”, que conta parcerias de: Neto (Síntese), Skeeter beats, Mc Dö, Santonio (Espanha), Mattenie, Dj 3D (Tássia Reis) e Mistah Jordan. Em 2014 lançou em parceria com o Skeeter (um dos beatmakers mais aclamados da atualidade), a Ep: “Do 012 Ao Infinito”, trabalho que foi indicado por vários veículos de comunicação, como um dos melhores lançamentos do ano. Enidê também possui um saldo positivo nas batalhas de rimas, tendo sido campeão de diversos duelo de improviso pelo país, incluindo o Circuito Rinha dos Mcs 2012 (Uma das batalhas mais consagradas do Brasil). Outro acontecimento importante, que agregou valor em sua experiência como improvisador, foi a Batalha do Conhecimento (edição nacional), no MAR (Museu de Arte do Rio de Janeiro), aonde o Mc representou o estado de SP ao lado dos freestyleros mais respeitados da atualidade. 

Confira abaixo a playlits da mixtape Magueando Vou, se liga:

Nenhum comentário:

Postar um comentário