Entrevista com o produtor Léo Machion - #submundodosom

Posts

domingo, 1 de julho de 2018

Entrevista com o produtor Léo Machion

Léo Machion, beatmaker, violinista, músico

O Submundo do Som trocou uma ideia com um dos mais talentosos beatmakers da atualidade, Léo Machion, violinista e músico de conservatório, diretamente de Piracicaba, onde reside, e do coletivo Same Sense, também produz para o selo Pegada do Gigante, e tem grandes nomes do rap rimando em cima de seus beats. Nesse bate papo Léo Machion contou um pouco de sua história, valou de seu trampo, suas inspirações, sobre a cena do rap em sua city, e sobre novidades que estão por vir. Confere aí:

Submundo do Som - Quem é o Léo Machion e qual sua trajetória até aqui mano? Se apresente aí pra nós. 


Leo Machion - Bom, eu sou Leo Machion (meu vulgo é basicamente meu nome mesmo hahaha) eu sou instrumentista e beatmaker, trabalho no estúdio Toca dos Gigantes, na cidade de Piracicaba, onde também trabalho na produção do Grupo De Buenas Crew e do pessoal da Pegada de Gigante (selo) que são o Graime, Gordão, Daniel Garnet e Peqnoh! E também faço parte do coletivo Same Sense, coletivo formado por beatmakers de todo canto do país com o intuito de trabalhar beattapes com conceitos e sonoridades puxadas para o lofi. 

Submundo do Som - Como o rap entrou na sua vida? E como foi que surgiu a ideia de começar a produzir beats?

Leo Machion - O rap fez parte enquanto moleque ainda, com 13 anos tive contato com alguma coisa de rap. Racionais tava acabando de lançar o Sobrevivendo no Inferno, De Menos Crime, Planet Hemp também, mas o que pirei mesmo foi com Bone Thugs n' Harmony... a música “Thug Luv”, vários carro passava com somzão estralando, e pô, na época era peso demais esse som! Enfim, depois voltei a ter contato com rap enquanto cursava Licenciatura em música pela UNIMEP, comecei a acompanhar o grupo De Buenas Crew, achei foda os sons, e aí num desses dias num barzinho nos trombamos e rolou de fazer um som. E aí montamos uma banda, eu tocava violino (violino é o meu primeiro instrumento) e tinha baixo, guitarra, batera, e os 3 mc's. Foram 2 anos de banda, quando chegou ao fim esse ciclo eu senti a necessidade de fazer instrumentais pra dar sequência nos trabalhos do grupo, isso em 2015, mas fazer beats mesmo, sabendo o que estou fazendo, é desde de 2016/17 quando entrei pro selo Toca Dos Gigantes do meu irmão e mestre Rodrigo Shortbeatmaker.

Submundo do Som - Você tem formação em conservatório e já foi violinista de orquestra né? Como é conciliar a música clássica com a produção eletrônica, como no rap?

Leo Machion - Sim, mas não tenho formação em violino, apenas cursei. Orquestra é outra parada né, exige estudo e dedicação absurda, não que em outras gêneros não exija, tudo exige muito estudo, né? Porém a música erudita pede uma disciplina muito maior... Eu hoje em dia, já não toco mais tanto violino, tô meio parado com esses estudos, me dedico 100% na produção de instrumentais apenas.


Léo Machion e seu violono

Submundo do Som - Em cima de suas bases já rimaram grandes nomes do rap nacional, como Siloque e o Nocivo Shomon. Quem mais já rimou em um beat seu?

Leo Machion - O Bino mesmo! Monstrão que rimou no mesmo som com Nocivo. Siloque, temos alguns sons ainda pra lançar, uma tape que um dia sai hahahaha! Pessoal aqui na cidade tem alguns trampos com instrumentais meus, como o Graime e Gordão, a própria De Buenas Crew, Filip Gang (que vai sair Ainda o EP) e Spixo. Fora isso tem trampos meus e da toca dos gigantes pra sair com Igor Bidi, D4crvz, Mototreta (mais um com Nocivo) Zap San, Cemporcento, e tem mais com Bino também.

Submundo do Som - Tem algum estilo que você curte mais produzir? E qual que você acredita ser o beat mais da hora já produzido pelo Léo Machion?

Leo Machion - Eu tento me aventurar em várias estéticas, desde quando comecei a fazer beats mesmo, no final de 2016, começo de 2017, eu gosto muito da estética lofi, ou até algo voltado pro alternativo e experimental. Mas boombap, oldschool, aquela parada golden era, estilo 90's, é o que eu mais piro mesmo, mas curto trap também, não curto Trump! (Kkkkkkkkkkkk) e pô, eu gosto de no Jet - Bino (aquele foi de inspiração mesmo!!)



Submundo do Som - Quais são suas influencias e inspiração para produção?

Leo Machion - Ah, eu ouço muito tape instrumental mesmo, pessoal daqui lança muita coisa pesada nesse gênero e eu acompanho sempre. Mas não só rap, ouço de tudo menos sertanejo que não desce, mas se tiver tocando não sou chatão também não haha!

Submundo do Som - E quais são os Beatmakers que você se inspira?

Leo Machion - Cara, praticamente nacional, tem muito beatmaker foda aqui, sala70 é de chorar pqp! Ericbeatz é foda, Lzu!! Deus!! Hahaha! O cara é foda demais! Curto as produções do Victor Xamã também, pessoal da Calmob, Antiheroi, Rancho Montgomer, acompanho os trampos sempre, Banal também quando reuni (reuni só os mais fodas!!!!!) Tem também o pessoal da Wait a Minute, Drinlib Mestrão, Ioda Beats, Sacolão Beats Marotas é maluco, foda demais!!!!! Paiol Records, coletivo do meu mano Edson Lacir, Buda Sobrevivência... cara, são vários mesmo, vou ser injusto porque não vou falar todos. E gringo tem muitos também, mas resumindo Madlib e Dilla pra não estender muito.

Submundo do Som - Mano, sobre a venda de um beat, você tem algum estudo sobre isso? Sobre a formação de preço, ou até mesmo do MC creditar a produção? Como funciona isso?

Leo Machion - Sobre venda depende do caso, os beats vendidos hoje, eu trabalho somente com o selo Toca Dos Gigantes, então sai tudo como “prod. Toca dos Gigantes”! A gente tem um catálogo no soundcloud que sempre que dá a gente atualiza com instrumentais novos e seguindo um padrão de valores por beat. E instrumentais que saem e sairão  com “prod. Leo Machion” são colaborações minhas independente do estúdio Toca dos Gigantes. Na real eu quero usar 100% o “prod. Toca dos Gigantes” e o “prod. Leo Machion” vai ser apenas pra trabalhos meus, tapes e tudo mais... 

Submundo do Som - E como foi a experiência como orientador de música em uma das unidades do CASE?

Leo Machion - Pô, essa experiência foi sensacional. Crianças que embora em situação de risco, te recebem sempre com um abraço. A maior lição que tive é que o aprendizado acadêmico é muito distante da realidade pública e periférica. Ainda mais porque não é só música, é um conjunto todo, desde a postura dentro do refeitório, até diante das atividades que se propunham! Atividades externas, era sobre uma conduta, postura, visão! Então o preparo tem que ser enorme. A vontade maior ainda. Você não se torna professor, ou você nasce pra isso ou não porque exige muito amor por isso, e não é fácil nem muito menos simples....

Submundo do Som - Têm alguma dica pra quem tá começando a produzir beats?
Leo Machion - Paguem por aulas com quem entende do assunto. Dica de ouro. Tem muitos manos que vendem curso básico de produção com preços acessíveis e com qualidade. Eu não costumo dar dicas, mas essa vale ouro, não fiquem em tutorias de YouTube hahaha enfim, cada um é cada um!

Submundo do Som - Piracicaba tem grandes nomes no rap, como o Ras, Afrow, Zona 96, De Buenas Crew, Peqnoh e Garnet, como você vê a cena do rap aí na cidade e região?

Leo Machion - Cena aqui tá foda, a Batalha Central ferve!!! Lindo de ver, Daniel Garnet e Peqnoh plantaram essa semente e tá tendo muitos frutos! Tem um show aqui e ali, cada coletivo se organiza e fazem um baile da hora, sempre na tranquilidade, sempre que posso compareço. E dessa galera que você citou falta Graime E Gordão, se não conhece, em breve vai conhecer!!!

Submundo do SomQuais os sonhos que você ainda almeja realizar na sua caminhada pela música?

Leo Machion - Ah, sonho mesmo eu não tenho mais não, 32 anos eu já tenho uma certa experiência de vida na qual eu não crio expectativa de nada, quero ganhar um dinheiro suficiente pra me manter, pagar minhas contas, me manter na minha casa e ter um dinheiro pra tirar um lazer com os amigo, poder comprar uma roupa, enfim... mas dinheiro é sempre bom né? Hahaha! Quero trabalhar com alguns nomes da cena, alguns já tô em contato e tô trabalhando pra isso, e em breve vai rolar (não posso dar esse spoiler!) 

Submundo do Som - O que o Léo Machion prepara de novo e pode adiantar aí pra galera?

Leo Machion - Eu lancei minha primeira beattape – “Fragmentos Efêmeros” que é um primeiro capítulo de uma quadrilogia - já tenho pronta a sequência que se chama “Clementine Kruczynki” que acredito que lanço até agosto ou começo de setembro, e já estou iniciando o processo de criação da terceira parte, “Amores Líquidos”, vai vir meio na contra das anteriores que são mais "lofi hiphop"... vai vir com uma pegada trap com mais uma estética diferente e com algumas faixas com alguns MC’s rimando, que ainda estou em contato. Fora isso tem alguns trampos importantes que tão pra sair com MC’s aí da cena, produção minha e produção Toca Dos Gigantes também! Fica a surpresa pra quando sair! E o volume 2 da “Same Sense collective”! Os beats tão a milhão por lá! 

Submundo do Som - Pra rapaziada que tá afim de conhecer um som novo, o que Léo Machion indica?

Leo Machion - Ouçam “Same Sense Collective”!!!! Merchan né?! Mas papo sério, muito beatmaker foda e em breve a segunda edição!!!!!! Ouçam as parada diferente daqui mesmo, esses que citei anteriormente, tem muito coletivo foda por aqui com pouca visibilidade, ainda.... vou deixar alguns: THC monstro do Nordeste! Pessoal da Calmob, Wait a Minute, Isaac de Salú (tá com um som novo fodastico flow Valdemiro), Estranho, Lessa Gustavo, D4crvz, Graime tá vindo com love songs foda e muito trap também em breve... Bino, Mototreta (que em breve sai som com beat meu também, e o mototreta tá impossível esse ano, amassando em toda linha!) E tem muito mais, mas a partir desses já acha a rapa.

Beattape Same Sense Collective vol 1

Submundo do Som - Para os manos que estão acompanhando esse bate papo, que mensagem você deixa?

Leo Machion - gang gang bro! AHUAHUAUHAHUAHUAUHAUHAHUAUHAHUHUA 

Submundo do Som - Pra quem quiser acompanhar mais de perto o trabalho do Léo Machion, quais são os Canais de comunicação?

Leo Machion - Meu soundcloud (soundcloud.com/leomachion) lá tem minhas loucura experimental, Beats a venda pela lojinha (soundcloud.com/tocadosgigantes). Também o coletivo Same Sense (soundcloud.com/samesense) e lá tem também o perfil pessoal de cada membro do grupo, vale a pena demais conhecer, só talentos!!!! E é isso!! Me sigam no Instagram (@leo_machion) que posto umas coisa doida lá também e os beat que nois estraga no dia a dia!

Eu gostaria de deixar o contato dos beatmakers do coletivo Same Sense, vale a pena acompanhar o trabalho individual deles pra quem não conhece:


Valeu demais pelo papo! Satisfação pelo espaço e Tamo junto! 


Um comentário: