Entrevista como o cantor Wesley Camilo - #submundodosom

Posts

terça-feira, 24 de julho de 2018

Entrevista como o cantor Wesley Camilo


Submundo do Som - Quem é o Wesley Camilo? E qual sua trajetória na música até aqui?

Wesley Camilo - O começo da minha caminhada na música foi informal, era um contato através da igreja, trampava num banco também, como aprendiz, e aí acabou o contrato, e não consegui arrumar outro trabalho e fiquei naquela, até que apareceu um convite para fazer uma festa de casamento, fui lá e ganhei um cache, e pensei que dava pra viver disso. Até hoje a profissão de músico ela é julgada, uma criança ela pensa em ser músico por causa do estrela, aquela coisa de estar na linha de frente. Já eu queria viver profissionalmente disso, e como tocava no coral da igreja, fui me aperfeiçoando, aula de canto, de teclado, violão, e fui acompanhando outros artistas, como o Netinho de Paula, do Negritude Junior, gravei com o RZO, participei da produção do disco "Ainda Há Tempo", do Criolo, e tô ai agora com meu EP.

Submundo do Som - É mesmo mano? Eu vi seu trampo com o Rashid e o Coruja, mas com o RZO e o Criolo eu não tava ligado não. Como que foi isso aí?

Wesley Camilo - Esse disco do Criolo, "Ainda Há Tempo", é o relançamento de 2016, onde o cara queria cada faixa produzida por um produtor diferente. Eu tava no estúdio com o DJ Cia, gravando os teclados para o último disco do RZO, e aí chegou um mano do Criolo, o vulgo Sem Grana, produtor, ele disse que precisava de um tecladista para gravar, e o Cia me indicou, porque já conhecia meu trampo e aí o cara me chamou pra colar lá na sessão, e aí fiz teclado, baixo e cobri algumas cordas, e ele fez a bateria, por que se não me engano o Ganjaman disse que não queria usar samples, tinha que ser tudo orgânico, e foi nessa que colei lá.

Submundo do Som - Então vamos lá, teclado, baixo, violão...Que mais de instrumento você domina cara?

Wesley Camilo - Cara, eu costumo dizer que eu não domino nada (hahaha), eu toco o necessário pra ter o resultado que eu preciso. No meu disco, acho que 90% do instrumental fui eu quem tocou, eu faço a programação da bateria, toco teclado, baixo, violão e trompete, que aprendi na igreja. Como falei eu toco o básico que preciso, mas na parte técnica, quando é algo mais especifico, eu chamo alguém pra tocar, como por exemplo na guitarra eu chamo sempre um mano meu que é muito bom, e pra outros instrumentos que eu acho necessário eu convido outros músicos pra somarem.

Submundo do Som - O EP "Minhas Verdades", de 2017, se apresentam bem diversificado, mais cantado, suingado, com mais peso orgânico dos instrumentos. Como que o Wesley Camilo define seu estilo musical?

Wesley Camilo - Eu diria que eu canto Soul, e utilizo dos artifícios que eu aprendi. No caso do "Minhas Verdades" eu queria colocar tudo que são minha referências, então coloquei R&B, coloquei Hip Hop, chamei os caras pra rimar, fiz um interlúdio e tentei juntar, tantos nas letras como no instrumental, coisas que fizeram parte da minha vida e que me influenciaram, mas eu me considero cantor de soul e R&B, mas tem até um trap lá, que não é o estilo que mais ouço, mas acho louco, e está lá no meio também.

Submundo do Som - E qual foi o tempo de concepção desse álbum?

Wesley Camilo - A primeira música que fiz foi a faixa "Sonhos", e na verdade essa produção nem entrou para o disco, entrou a versão remix.  E foi num estilo de produção similar com o dos caras do rap, onde fiz primeiro o instrumental e depois a letra, e ai lancei essa música no YouTube  em 2015, e aí não tinha a pretenção de fazer um disco, só queria fazer um som. Mas aí os amigos, principalmente um, o Felipe Barros, sempre falava que eu tinha que lançar um disco e tal, e quando fui ver já estava na terceira faixa, e aí pensei que pelo menos um EP tinha que sair, aí foram acontecendo algumas coisas, como o DJ Luciano que ouviu e gostou e começou a tocar na rádio Transcontinental, e aí pensei que a coisa ficou séria, e então quis por mais energia. O álbum ficou pronto no final de 2016, e depois entrou pra mixagem e masterização, que foi feito pelo Silveira, um grande irmão, referência pra mim.



Submundo do Som - E a recepção desse álbum? Como foi repercutido depois que você colocou o EP na rua?

Wesley Camilo - Cara, tá sendo mais do que eu esperava, pois não tinha a pretensão de fazer um disco, e o resultado foi muito bom. Também pelo fato de eu não ter uma marca, uma banda, uma banca, então é tudo mais difícil, ainda mais porque o estilo que eu faço não é o que tá no hype. Mas tô colhendo ótimos frutos, vendo meu trampo chegar em várias pessoas que eu não esperava, como o Valdir Borges, que gostou do trabalho, o próprio Silveira, o Emicida também ouviu e curtiu. E também é aquilo né mano, a gente fala de hip hop e logo pensa em São Paulo, mas o trampo que fiz veio mano do Paraná, Santa Cataria, de outros estados dar um salve, e ai eu reafirmo que está sendo positivo demais o resultado desse trampo.

Submundo do Som - O que o Wesley Camilo enxerga como a maior dificuldade na carreira?

Wesley Camilo - Aqui no Brasil é complicado você trabalhar com tecnologia, apesar de estar mais fácil hoje, mas o acesso a tecnologia é complicado, a parte de estrutura, eu ainda fiz muita coisa em casa, no meu estúdio, pouca coisa gravei fora, mas são coisas que enfrentei na vida, de ter que arrumar um jeito alternativo pra fazer as paradas, e aí eu me inspiro Emicida, quando ele lançou a mixtape "Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe", dele gravar CD por CD, recortar envelope e carimbar um a um, isso é muito loco, é como ele fala "pequenas empresas, grandes negócios", então essa falta de acesso, principalmente na periferia, faz com que o cara se vire. Agora falando da parte técnica, uma das dificuldades que tenho é com a letra, sou um cara exigente e chato, e acho que não aprendi a escrever ainda (hahaha), mas é aquilo, procuro sempre evoluir.


Submundo do Som - Depois do "Minhas Verdades", o que o Wesley Camilo prepara de novo e pode adiantar ?

Wesley Camilo - Tenho alguns singles para lançar, recentemente eu fiz uma versão acústica de uma música do EP, a "Só Você", que foi para o mês dos namorados. Eu queria também fazer algumas paradas eletrônicas mesclando com o instrumental que eu faço. Também tô planejando algumas coisas ao vivo, e aí fazer vídeo clipe e trabalhar forte nesse onda, que hoje em dia não tem como ignorar os lançamentos audiovisuais.



Clipe da música "Só Você"


Submundo do Som - E quais sãos as influências que você curte e coloca no seu som?

Wesley Camilo - Pensando em nacional, tenho algumas referências da própria soul music, como Cassiano, Dafé, Djvan que é gênio, o próprio Tim Maia, acho que esses são os principais, mas eu me inspiro em tudo, tenho muitos amigos músicos e muitos músicos que são amigos, falo do Silveira, do Felipe de Melo que é embaçado nisso aí. E falando de internacional, acho que a minha maior influência é um cara chamado Musiq SoulChild, e não tem como não citar Jay Dilla, que ele foi melhor traduziu essa coisa de usar o eletrônico com os instrumentos tocados e ta aí né, fazendo história, o próprio Anderson Paak, o cara é um fenômeno, fui num show dele, no Cine Jóia, e esse cara é embaçado, tem peso, é bem denso e ao mesmo tempo consegue encaixar uma veia pop, esse é uma referência também.


Submundo do Som - Quais os sonhos que o Wesley Camilo ainda pretende realizar nessa caminhada pela música?

Wesley Camilo - Tenho muitos sonhos, mas muitos deles já realizei, até mais do que imaginava. Mas sonho realizar shows grandes, com um estrutura grande, com uma galera envolvida, de poder viajar e trocar ideia com as pessoas. E fazer conexões internacionais, gravar com uns caras de fora, gravar em outro idioma. Sonho também em ter um estúdio bem da hora pra receber a galera, e ficar mais a vontade pra criar e produzir, sonho assim mano.


Submundo do Som - Pra rapaziada que tá afim de escutar um som da hora, um trampo diferente, o que você pode indicar pra nós?

Wesley Camilo - Eu sou um cara que gosta de entender o conceito histórico por traz de tudo que eu gosto, entendeu? Por exemplo como nasceu o Hip Hop? Eu gosto de ir atras e de entender, e os nomes estão aí, Tim Maia, Djavam, Cassiano, e todos outros que citei, os nomes da música negra brasileira. Eu gosto do rap pela questão do sample, antigamente eu não entendia bem, essa ideia de recortar uma música e colocar uma bateria em cima e sair cantando, eu não entendia, mas hoje eu vejo que através de uma música sampleado você descobre outra que é a original e tem site que traz a original x sampleado, e se você for atras você aprende demais com isso. Essa é minha principal indicação pra galera.  


Submundo do Som - Qual mensagem o Wesley Camilo deixa pros manos que acompanham esse bate papo?

Wedy Camilo - Você tem que ser real, ser verdadeiro, independente do que vão achar de você. é claro que o ser humano ele tem uma caminhada até ele se encontrar, até saber quem ele é, saber sua verdade, mas a principal ideia é de você ser sincero com quem está a sua volta, tanto como pessoa ou como músico, entendeu? Tem uma frase, que não sei quem disse, mas é algo assim: "No mundo inteiro só você pode ser você mesmo", só você pode viver por você, ninguém vai ser você por você, então você tem que ser sincero e verdadeiro o tempo inteiro.


Submundo do Som - E pra quem quer acompanhar seu trampo mais de perto, quais são os canais de comunicação?

Wesley Camilo - Tem o canal no Youtube, onde recentemente lançamos o clipe de "Só Você", que é youtube.com/camilotv. Tem o Instagran que é a rede que eu mais movimento, que é @wesleycamilo, e facebook é facebook.com/camilopagina, twiter tô começando a movimentar, mas ainda não é habitual, e é isso, tô aí nas redes!


Nenhum comentário:

Postar um comentário