Dia a Dia da Periferia com o GOG - #submundodosom

Posts

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Dia a Dia da Periferia com o GOG


Em 1994 o poeta do rap nacional, Genival Oliveira Gonçalves, o GOG, trouxe um clássico e verdadeira pedrada, o álbum Dia a Dia da Periferia, que firmava cada vez mais o rapper como um dos expoentes do gênero em nosso pais. Gog é um dos pioneiros do rap no Brasil, e na sua quebrada o Distrito Federal, sendo um dos grandes nomes do movimento em Brasilia, o que resultou em dos grandes sucessos do mano, a música "Brasilia Periferia", que compõe o disco e que mais tarde ganhou uma parte 2, no álbum Das Trevas à Luz, de 1998, e a parte três, denominada "A Terceira Mensagem", de 2006, do álbum "Aviso ás Gerações".

No Dia a Dia da Periferia, o poeta contou com um time de peso, a começar pelo produtor, que foi o DJ Raffa, outro pioneiro do DF, que junto com Os Magrellos lançou os primeiros LP's de Hip Hop de Brasilia e que também integrou o grupo Baseado Nas Ruas, além de produtor e DJ, Raffa foi b.boy e é escritor, tendo lançado seu livro "A Trajetória de Um Guerreiro", em 2008. Nos scratches, o terceiro álbum do GOG, contou com o DJ Tydoz, backing vocal de Luciana Oliveira e a participação de Natinho em "Assassinos Sociais". Ainda há a guitarra de Leonardo Neves e do Ariel, que também tocou baixo acústico.

O disco abre com "Dia a Dia da Periferia", que como o nome diz narra o cotidiano de um cenário periférico, entre as opções de lazer, os deveres e obrigações e violência policial imposta sobre os mais humildes:


"Eu ligo o som lá em casa, é inevitável,

a molecada vem de todos os lados,
e já, na porta, altos cumprimentos,
Comentários sobre o dia no Plano
E, nesse entra e sai, vai e vem,
Todos se divertem,
E alguns até esquecem que
ás quatro e meia da matina,
a rotina se inicia: Arroz, feijão na marmita fria
Mas fazer o quê? Se alei aqui é sobreviver.
Todo dia é mais um dia D."

A Faixa dois é "O Exemplo Taí", onde GOG através de exemplos mostra que a vida na periferia é difícil mas que a saídas inteligentes, e que não é o puxar do gatilho ou a venda de drogas que são as alternativas para o nosso povo:

Música: "O Exemplo Taí", do rapper GOG

Seguindo temos "É Mesmo Incrível", com backing vocal de Luciana Oliveira, GOG aborda quão corriqueiro é a vivência de um jovem de periferia, principalmente em relação ao seu futuro, onde todos esperam que ele não tenha perspectiva, sobrando o crime, as drogas ou o caixão:


"De repente pei, pum, pum mais um, já era, já era mas

De que vale a vida oprimida sem perspectiva, hein? Me explica?
Aos 20 e pouco de idade larguei a faculdade
Pra meus pai, um baque; pra mim, nenhuma novidade
Sei que errei, mas que lição tirar?
O importante é que consegui chegar
Onde muitos da minha cor querem chegar e não conseguem chegar
Ah, não seja ingênuo a ponto de imaginar
Que eu sou melhor que você ou você é um Incompetente
Pare, analise, raciocine friamente
Quantos de nós ocupam hoje altas patentes?"

Na música três "Assassinos Sociais" com feat de Natinho, GOG dirige se canhão verbal para a classe politica e seus maus exemplo e e atos que prejudicam diretamente a classe trabalhadora, num desabafo de 1994 que resiste até os dias de hoje:


"Os poderosos são demais
Derramam pela boca seus venenos mortais
Poluindo a mente dos que são de paz
A gente segura atura estas criaturas
Como pode mas um dia explode
E a ideia sai (então vai)
Eu vou eu vou de vez
Vejam só vocês
No meu brasil em ano de eleição
O que se vê pela periferia são
Palanques panfletos carros de som
Promessas em alto e bom tom de que as coisas vão melhorar
Mas como acreditar?"

A penúltima faixa é "Vai GOG", onde a critica é feita em cima da massificação do consumo dos produtos importados, num debate sobre a estética, onde o próprio rapper se desconstrói e mira as criticas a si próprio:


"Falo disso com autoridade,é verdade,
tenho culpa nisso,prova disso emu primeiro disco 
trás na capa estampado, 
"quem?" eu e meu boné importado. 
a galera pirou elogios de todos os lados 
e pouca gente lembrou, e o nosso público alvo? 
é! o pobre,o analfabeto,o preto com ancestral escravo,
que junta um troco dando um duro danado"

E fechando o disco o clássico "Brasilia Periferia", uma letra quilométrica narrando um rolê pelas quebradas da capital federal, as chamadas cidades satélites. Aqui GOG trás na memoria histórias, relatos e vivências da humildade do povo do gueto enquanto vai citando os bairros da área: 


"Aqui a visão já não é tão bela
Brasília periferia santa maria é o nome dela
Estupros assaltos fatos corriqueiros
Desempregados se embriagam o dia inteiro
A boca mais famosa é o puteiro
Onde que só rola me desculpem os roqueiros os metaleiros
É só rap forró e samba os verdadeiros sons do gueto"

O disco "Dia a Dia da Periferia" traz um retrato da vida de muitos que vivem distante dos grandes centros, os problemas de condução, locomoção, moradia precária e a violência dos bairros pobres e a perspectiva, ou falta dela, para com as nossas crianças, e que apesar de ser um recorte da situação em Brasilia, se replica a qualquer outra quebrada do Brasil. Nesse álbum GOG conversa com seu povo, traz uma mensagem de apoio e de esperança aos manos que todos dias estão no corre pela sobrevivência e que sonham em dia ter uma melhor condição. Registro obrigatório para todos os fãs do bom rap nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário