Gustavo da Lua em "Homônimo" - Submundo do Som

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Gustavo da Lua em "Homônimo"


Numa mescla de música nordestina, caribenha e africana, Gustavo da Lua, lança seu segundo álbum solo, o divertido e reflexivo Homônimo, tratando da sociedade contemporânea, ao tempo que entrega uma musicalidade versátil e inquietante.
O percursionista da Nação Zumbi nos apresenta um trabalho de oito faixas, como sucessor de seu primeiro trabalho intitulado RadianteSuingaBrutoAmor do ano de 2013. O artista de Olinda, atualmente morando em São Paulo, mostra sua mistura de estilos em um álbum contemporâneo, e que contou com boa parte da Nação Zumbi em sua produção.
O baixista Alexandre Dengue participa da faixa “Ponte Sinai” e “Desaparecer”, essa última contando também com a guitarra de Lúcio Maia, a dupla também está presente na faixa cinco, “Prato Vazio”, onde o multi-instrumentista Toca Ogan, também da NZ, faz participação. O atual baterista da Nação, Tom Rocha, também orquestra bumbo, caixa e pratos em quatro das oito faixas.
Já o ex-baterista, o Pupillo (Oliveira) assina a produção de três faixas (“Ponte Sinai”, “De Boca em Beco” e “Trajeto Bonito”), as demais faixas têm produção assinada por Thiago Barromeo. O disco ainda conta com a participação de Edgard Scandurra, guitarrista da banda Ira!, que por coincidência o grupo sempre está envolvido nas mais brilhantes produções do Brasil, seja no rap ou no manguebit.
O álbum Homônimo é materialização de forma sonora da musicalidade e influências de Gustavo da Lua, e nítido suas influências, como Nação Zumbi, da qual integrante da banda participaram, assim como de Sheik Tosado, banda influente dos anos 90, na qual  artista foi um dos fundadores, assim como Cidadão Instigado, de Fortaleza, a escrita marginal do Mundo Livre S/A e o peso do Hip Hop de Racionais e Sabotage, num encontro da música digital com o afro-funk, tudo isso jogado num caldeirão de ideias de Da Lua, e assim o nascimento do disco Homônimo! 
Abaixo a ficha técnica do disco: 
1. Ponte Sinai (Gustavo da Lua, Thiago Barromeo, Alexandre Dengue e Tom Rocha) – Faixa produzida por Pupillo Oliveira
2. Esquina do mundo (Gustavo da Lua, Taciana Barros, Edgard Scandurra e Thiago Barromeo) – Faixa produzida por Thiago Barromeo
3. De boca em beco (Gustavo da Lua, Barromeo, Pupillo Oliveira e Paulo Kishimoto) – Faixa produzida por Pupillo Oliveira
4. Rodante (Gustavo da Lua e Thiago Barromeo) – Faixa produzida por Thiago Barromeo
5. Prato vazio (Gustavo da Lua, Thiago Barromeo, Lucio Maia, Tom Rocha e Alexandre Dengue, Toca Ogan) – Faixa produzida por Thiago Barromeo
6. Desparecer (Gustavo da Lua, Lucio Maia, Alexandre Dengue e Thiago Barromeo) – Faixa produzida por Thiago Barromeo

Abaixo você confere o álbum no Spotify:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Páginas