Montim Underground lança coletânea Chinelos e Coturnos 2 - Missão Bozo Morto - Submundo do Som

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Montim Underground lança coletânea Chinelos e Coturnos 2 - Missão Bozo Morto


Mais uma coletânea antifa acaba de ganhar a rede, Chinelos e Coturnos 2 - Missão Bozo Morto reúne 36 artistas de todo Brasil em uma compilação de hinos de resistência e luta contra o governo fascista desse país. A página Motim Underground, dedicada a divulgações da música underground, dando espaço para a cena autoral independente de todo tipo, desde que não seja fascista, racista, homofóbico, machistas ou outros vermes, como a pagina define.

Ruy Araujo, idealizador do Motim, conta que a ideia da coletânea surgiu na vontade reunir de forma oficial as bandas que eram divulgadas na página. E nessa edição de Chinelos e Coturnos, que é o volume 2 da iniciação, Ruy comenta: "tivemos a ideia de reunir apenas banda antifascistas e que se sentissem a vontade de bater de frente contra o autoritarismo". 

Sobre os artistas que foram selecionados para o projeto, Ruy explicou o processo: "postamos em nossa página sobre a coletânea e esperamos que bandas que compreendessem a proposta abraçassem o projeto, recebo mais de 100 materiais e escolhemos as músicas que mais se encaixaram na ideia da coletânea".

O compilado Chinelos e Coturnos nasce de uma necessidade de explanar o descontentamento com um presidente despreparado, corrupto e assumidamente fascista, racista, machista e homofóbico: "A ideia da coletânea é mostrar que existe no país inteiro gente inconformada com o governo fascista e miliciano que temos por aqui. E que a arte é uma das melhores formas de demonstrar o nosso inconformismo, nosso objetivo é reunir o maior número de pessoas possível que estejam alinhados a ideia de que no underground não tem espaço pra fascista", completa Ruy.

A principio, Chinelos e Coturnos foi lançado de forma virtual, na plataforma do Bandcamp, mas a ideia do Motin é 
confeccionar mídias físicas e promover shows de lançamento pelo país, isso é, depois do fim da quarentena. Além disso a perspectiva é que ainda em 2020 possa sair o volume 3 do projeto.

Confira Chilenos e Coturnos - Missão Bozo Morto no Bandcamp:



Participaram dessa Coletânea:

Prozac HC - Elefante branco
Sangue Odio Hardcore Official - Resistir é vencer
Punkzillaǃ - Eu tenho medo das pessoas de bem
Nefärioüs D-saster - State Killing Machine
Bernie HC - Culto ao ódio
Espörro - Não me representa, não me representarão / Lixo nazi
Onda Errada HC - Pó, puta e revólver
Ódio Social - As ruínas do país do amanhã
Contra Todos - Chega de opressão
Corja - O que você vai fazer quando a TV quebrar
Movimiento 26 - Repressão
Dignatários do Inferno - Democracia teocrata
Banda Dose Letal - Para que a guerra?
Hemattoma HC - MxLxHxCx
Justa Vingança? - N.D.P.A.
Kasmürro Rock Band - Hedonistas viciados em endorfina
Dead Social - Pobre miserável
Concept of Hate - Blinders
Anguere HC - Chacina
Os Mandriões - Todos contra você
Signo 13 - Liberdade clandestina
As Aberrações - Chacina
Turba Violenta - Adélio Bispo
Whisky Vermelho - Filhos da guerra
Siloque - Portões brancos
Desistência Zero - Desordem em progresso
Boot Jão - Cidadão de bem
Pó de Osso - Golden shower
Espinha de Porco - Passe livre
Coração Granada - Reich tropical
Guerras - Armada
Sandinistas - Cinco da Manhã
I.C.H.. - Sociedade hipócrita
Mariachiis - Revolução das máquinas
Motriz - Homem livre
The Upperground - Black sheep

Um pouco mais sobre o Motim:


O projeto foi iniciado em Agosto de 2017 por Ruy Araujo com o propósito único e simples de divulgar a música underground brasileira. Ruy iniciou sua caminhada na cena underground em 2001, na cidade de Balsas-MA, nas bandas Bicho Doido e Anubys (banda punk que durou até 2005). Em 2006 já em Araguaína no estado do Tocantins ajudou a fundar a banda Prozac HC, banda na ativa até hoje, nesse mesmo período montou junto de Diego Babibi, também da banda Prozac HC, a produtora Calangos Core, foram anos organizando rolês underground no interior do Tocantins, e pode tocar também nas bandas Bebadolls, Doxi Dilly e Guerilha, até partir para uma aventura na Ilha do Marajó, onde fundou a banda Maconduta que ficou na ativa até 2013, ano em que em que se mudou para Goiânia, famosa por ter uma cena Rock forte, porém mesmo com esse cenário circunstâncias o fizeram parar de tocar. Após, 2 anos totalmente afastado de qualquer ligação com a cena veio o Motim Underground e de devagar e com pouquíssimos recursos foi ampliando o alcance e fazendo novos amigos. 
 
Fonte: Motim Underground, siga a página: https://www.facebook.com/motimunderground/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Páginas