ENTREVISTA | "O Antidoto" é o retorno do Radiola Santa Rosa e do Hip Hop psicodélico - Submundo do Som

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, 26 de junho de 2020

ENTREVISTA | "O Antidoto" é o retorno do Radiola Santa Rosa e do Hip Hop psicodélico

O Antidoto” é o single que marca o retorno do Radiola Santa Rosa, 14 anos depois, A música conta com participações de Monkey Jhayam e Alienação Afrofuturista e está disponível nas plataformas digitais.

O Radiola Santa Rosa foi um dos mais inventivos grupos do rap nacional, a dupla do Guarujá formada por Caio Dubfones e o DJ Beto, em 2004, trazia em suas canções um Hip Hop psicodélico com influências do budismo, da natureza, tropicália e muito experimentalismo, autoconhecimento e senso político.

Referenciados como Beastie Boys praianos, o Radiola lançou o elogiadíssimo Disqueria, um álbum feito com samples de vinil adquiridos em sebo, pela bagatela de R$ 1,00, com destaque para a faixa “Zoro”, que ganhou videoclipe vinculado na MTV, a música também integrou o volume 2 da coletânea do Programa Consciência Brasileira, Retratos do Brasil, (confira aqui).

Em 2006 a dupla lança uma versão dub de seu disco de estreia, o Duberia, trazendo a musicalidade para uma atmosfera ambient breakbeat e instrumental. Em 2007 o Radiola Santa Rosa pausa o projeto, com Caio Bosco seguindo uma carreira solo como cantor, compositor e guitarrista, lançando álbuns e EP's de música brasileira, rock, soul e funk.

Após 14 anos, o Radiola está de volta, agora somente com o Caio, mas para a reestreia ele vem bem acompanhando, contando com as participações de artistas tão experimentais quanto o Radiola Santa Rosa, Monkey Jhayam e Alienação Afrofuturista somam na canção "O Antídoto” lançada nessa sexta feira (26/06) em todas as plataformas.

O single marca a nova incarnação do projeto e consiste em um boom-bap influenciado por jazz, soul e música brasileira, embalando rimas sobre harmonia, união, superação e a importância da cultura em momentos difíceis como o agora.

                                                                Poster do single "O Antídoto"

O Submundo do Som bateu um papo com o Caio, sobre o retorno do Radiola Santa Rosa:

SDS: Como o Radiola Santa Rosa vem nessa nova fase?


Radiola: Vem comigo sozinho assumindo todos os controles sobre o projeto.

 

SDS: O Radiola Santa Rosa teve como característica o experimentalismo, e nesse tempo de pausa o rap ganhou várias sonoridades diferentes, o projeto vai experimentar algum desses novos estilos?

 

Radiola: Não, a ideia é realmente tomar como ponto de partida as experiências que ficaram lá atrás no Disqueria/Duberia, ou seja rap golden era, boom bap e sampladélico. O que o Radiola traz como experimentos musicais em sua nova fase é a técnica de manipulação dos samples altamente inspirada em música concreta, os processos de beat-making, mas também nas rimas, que hoje são mais focadas no compartilhamento de arte e cultura.

 

SDS: E a conexão com o Monkey Jhayam e o Alienação Afrofuturista, como que aconteceu?

 

Radiola: Tinha criado uma conta no Instagram pra postar os novos beats e os processos de feitura desse novo álbum, os caras me acharam e pra minha surpresa gostavam do som do Radiola. Falei a eles que tinha alguns dos meus melhores beats para uma colaboração entre nós, escolhemos e naturalmente as rimas apareceram. Um orgulho ter trabalhado com MCs tão talentosos! Na verdade, é a primeira colaboração do Radiola com outros artistas!

 

SDS: E qual o futuro do Radiola Santa Rosa após o lançamento do single "O Antídoto”?


Radiola: Já gravei e produzi o novo álbum do Radiola Santa Rosa, estou agora em fase de mixagem. A ideia é lançar alguns singles com lyric videos em um espaço de um por mês, até conseguir construir a base para mostrar esse álbum novo. Sobre o futuro em si, é impossível saber! Espero conseguir seguir os ensinamentos de Bruce Lee e ser como a água my friend!


Confira Radiola Santa Rosa, Monkey Jhayam e Alienação Afrofuturista em "O Antídoto":


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Páginas