Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

1ª Amostra de Cinema | Dia Um: Desigualdade, Sociedade e Injustiças em três filmes

1ª Amostra de Cinema | Dia Um: Desigualdade, Sociedade e Injustiças em três filmes

 
 
Salve, salve! Iniciando a 1ª Amostra Submundo do Som de Cinema, com o intuito de trazer para nossos leitores a oportunidade de conhecer um pouco mais da sétima arte no Brasil, conhecer um pouco mais das produções latino americanas e a apreciar documentários sobre a música. 
 
 
E nesse primeiro dia, o tema é desigualdade, sociedade e injustiças. As amostras que trazemos são: Que Horas Ela Volta, Habanastion e o doc Marcelo Yuka no Caminho das Setas, confira: 
 
 

Que Horas Ela Volta? 

  

Filme nacional de 2015, escrito e dirigido por Anna Muylaert e conta em seu elenco Regina Casé como Valdirene Ferreira (Val), Camila Márdila como Jéssica Ferreira, Michel Joelsas como Fábio Bragança (Fabinho, Karine Teles como Bárbara Bragança e Lourenço Mutarelli como José Carlos Bragança. A obra fala sobre a desigualdade social no país tendo como enredo as relações trabalhistas e afetivas entre uma empregada doméstica nordestina, que traz sua filha para prestar um concurso, e seus patrões pertencentes a elite paulistana.
 
 
  
 

Habanastation

 
 
Película cubana lançada em 2001, escrita e dirigida Ian Padrón e Felipe Espinet, o filme foi indicado ao Oscar de 2002, representando Cuba na principal premiação do cinema mundial. O longa é um drama e retrata as diferentes realidades sociais das crianças na ilha socialista a partir da amizade entre um menino do centro de Havana, e outro da periferia no bairro “La Tinta”, e um Playstation é o fio condutor dessa história.
 
 
  
 

Marcelo Yuka no Caminho das Setas 

 
 
Filme de 2011 dirigido por Daniela Broiiman, mostra a trajetória de Yuka, que teve sua vida transformada após levar nove tiros em um assalto no Rio de Janeiro. Marcelo Yuka era baterista e principal letrista da banda O Rappa, o documentário mostra sua relação com os músicos do grupo desde o acidente, o cotidiano em uma cadeira de rodas e os projetos que tocou dali em diante como uma forma de equilibrar o físico e o espiritual e dar sequência na sua carreira.
 
 
  
 
 
E aí? Curtiu as indicações desse primeiro dia da amostra Submundo do Som de cinema? Amanhã daremos continuidade a essa iniciativa, fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário