Acontece

[Acontece][bsummary]

Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

5 FILMES PARA ENTENDER A FASE PRÉ HIP HOP

 

Antes de irmos para a lista prometida no titúlo, é importante ler também o artigo Como uma gangue Porto-Riquenha (Ghetto Brothers), um membro dos Black Panthers e a morte de um jovem líder negro foram a faísca na criação do Hip Hop???, feito pelo Anderson Hebreu para o site Noticiário Periférico, um texto que ilustra bem o contexto dos filmes aqui apresentados, com a diferença que os acontecimentos e forma que são narrados na matéria do Hebreu, são veridicos, e nos filmes abaixo são romantizados (com exceção de Rubble Kings, e mais abaixo falaremos o porque), porém, mesmo se tratando de obras fictícias, são trabalhos importantes e cruciais para entender a era pré-Hip Hop, o nascimento da cultura e o seu desenvolvimento. Então se liga aí:

Coringa (Joker)


Esse é filme menos óbvio da lista e gera uma certa estranheza, o que um filme de herói, ou melhor, de vilão, tem a haver com Hip Hop? Primeiramente pelo fato do Coringa de Joaquin Phoenix estar flutuando nessa definição de bem e mal, e muitos não saberem se o classificam como herói ou vilão. Arthur Fleck é um personagem que vive marginalizado em uma sociedade doente, e o grande vilão do filme é a cidade em si. Gotham foi inspirada para ser a Nova York dos anos 70, com uma grave crise do lixo, onde os resíduos das famílias não eram recolhidos, as autoridades abusavam da violência e os órgãos públicos do descaso com os cidadãos. Em um cenário como esse era natural que as gangues ganhassem espaço em uma luta por território e sobrevivência em meio a corrupção da classe política.


The Warriors


 
Com as gangues dominando a cidade, cada qual em seu território, era esperado que esses grupos se enfrentassem e aumentassem o nível de violência. Em The Warriors - Selvagens da Noite, o cenário de inicio do filme é esse, porém o líder da maior gangue de Nova York reúne 100 agremiações da cidade para uma grande reunião, cada gangue levaria apenas 9 membros para verem um discurso de união, a junção de todas as gangues em algo maiorque o contingente policial e com isso dominar a cidade. Porém, Cyrius, o líder e provedor dessa reunião, é assassinado enquanto discursa e a culpa recaí para a gangue The Warriors, que agora precisa atravessar a cidade até a periferia de Coney Island enquanto são caçados por outras gangues. Importante frisar que a gangue The Warriors, assim como outras da época, possuíam grafiteios e pixadores em suas fileiras, e em encontros como esses, eles deixavam sua marca em territórios longe de sua quebrada.


Rubble Kings



Esse é um documentário, por tanto trata-se de uma obra não ficticia e conversa diretamente com o o texto do Hebreu, pois narra os acontecimentos narrados ali, como também serviu de base para o roteiro do filme The Warriors. A extrema violência das gangues, a briga por território e a tentativa de paz através de uma grande reunião, foram fatos reais que realmente aconteceram, através de
Hoe Avenue, que juntou diversos líderes de gangues dos dois bairros nova-iorquinos. O encontro, que teve lugar no dia 7 de Dezembro de 1971, ficou na história não apenas por ter sido o primeiro em que foi forjada uma aliança interétnica entre os cerca de 10 mil elementos de 68 gangues distintos que ficaria conhecida como (The Family). O documentário conta com imagens da época, apresenta depoimentos de Benjamin Melendez, Kool Herc e Afrika Bambaataa.

 
Wild Style



Passado um tempo, após as tentativas e frustrações para se obter a paz, enfim um esboço de apaziguação é feito, as gangues se convertem a crews, a principal delas do Afrika Bambaataa, a Black Spads passa a ser a Zulu Nation, deixam de resolver suas diferenças na briga para se resolverem em disputas de breaking e graffiti (e mais a frente em sistema de som, discotecagem e batalhas de MC's). Wild Style é o primeiro filme a retratar o Hip Hop e essas disputas no campo cultura e da não violência, mostrando a ascensão dos elementos dessa cultura que salva vidas.


Beat Street


Por fim chegamos ao filme que foi o grande catalisador da cultura Hip Hop no Brasil, película que levou diversos  DJ's e b.boys a lotarem as salas de cinemas do país em meados dos anos 80. Beat Street tem a atmosfera de gangues se encontrando no metrô, os rachas de breaking pela cidade e questão identitária, de jovens periféricos andarem uniformizados, com as mesmas cores e agasalhos, foi trazida para o Brasil, sendo a principal influencia da primeira geração de adeptos do Hip Hop em solo brasileiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário