Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

Diário de Gravação

DIÁRIO DE GRAVAÇÃO - GUIA PRÁTICO DE COMO FAZER INIMIGOS

Diário de Gravação dia Zero (introduSom)

Sexta-feira dia 04 de Maio e o EP "Guia Prático de Como Fazer Inimigos" começaria a ganhar forma, é claro que muitos corres para esse trampo estavam sendo adiantados em paralelo, mas vamos nos atentar, nessa momento a gravação da voz para as músicas. O Siloque me convidou para um almoço na sua goma, o rango era um feijãozinho da hora, e põe da hora nisso. O Beiço também ia colar, mas acabou não dando certo, a ideia era começar a se organizar para começar a construir o disco, então fomos de encontro ao Beiço, lá no Milgrau Tape Estúdio, onde tudo iria acontecer, e para nosso parceiro, o Silas levou o feijãozinho da hora.

A equipe para gravação seria o Beiço, Siloque, e eu. Sendo o Beiço o técnico de gravação, do Milgrau Tape Studio, que é administrado por ele e seus parceiros de caminhada do Synestesia (Lêo e Anauê), além dessa responsa na técnica o mano gravaria alguns vocais de apoio e também um feat na track "#VcMeDaNojo", junto com toda banca do Synestesia. O Siloque é o dono do projeto, além de voz nas faixas, é o produtor do disco, ele que daria o aval para tudo que fora feito, para que o EP saisse de acordo com sua visão musical, lembrando que o mano está na estrada pelo menos há 15 anos, e criar uma obra assim, sintetiza todo seu aprendizado nesses vários anos de caminhada. Eu era o cara mais improvável pra estar ali, não sou MC e não tinha conhecimentos na área de produção musical, mas mesmo assim estava ali, devido a um voto de confiança do mestre Silas. Meu objetivo é de auxiliar no que fosse preciso e aprender muito com esses caras, além de observar toda essa movimentação e registrar, como testemunha ocular, todo o processo criativo do "NOSSO" disco.

Chegando no Milgrau Tape Studio, escutamos os beats, os quais o Siloque tinha me mostrado, um a um, numa especie de sessão para escolha do que ficaria legal para cada letra. Assim, como numa outra vez, num outro dia la na sua casa, ele passou as letras em cima do instrumental, para testar flow, tempos e também aquecer a voz. O Beiço nos deixo muito a vontade no estúdio, e isso fazia muito a diferença, pois quando se está a vontade a coisa sempre flui melhor. Conversávamos sobre música, sobre álbuns, escutamos sons, dávamos risadas, criamos um vinculo da hora que facilitaria muito o trampo de todos. O Lêo (Synestesia) também colou lá, mas foi uma passagem rápida, porém eficiente, nesse tempo ele e o Beiço mostraram suas linhas para o feat no disco, linhas essas que agradaram ao Silas e ao Jeffão aqui, empolgando e elevando as expectativas para o projeto.

Infelizmente a gravina não aconteceu nesse dia. Tivemos algumas dificuldades para que o trampo acontecesse. O Siloque tem um estilo de gravação, uma mescla de todos estilos de todos os lugares por onde passou para gravar. Já o Milgrau Tape Studio tinha outra forma de trabalhar, o que não impediria de fazer o trampo, porém era preciso chegarmos num denominador comum. O ponto era o retorno do áudio, para que o rapper escutasse sua voz durante a gravação, o software do estúdio não proporcionava o retorno como Silas esperava. Nesse momento, o Milgrau Tape mostrou seu profissionalismo e atenção com o artista que estava ali para captar voz e propôs uma solução, com um novo software.

Nosso tempo ali era limitado (tínhamos que sair por volta das 17h), assim não conseguiríamos começar as gravações, porém isso não foi um problema, pelo contrario, foi um momento de descontração e que uniu ainda mais os três manos que estavam ali. Aproveitei a união para estudar um pouco sobre produção de beats, abri o notebook e o Silas deu algumas orientações, mostrando seu modo de produção, usamos o que tínhamos, um disco do Secos e Molhados, aquele mais clássico, com a cabeça dos caras numa bandeja, manja? O Siloque escolheu a faixa "Sangue Latino" e em questão de minutos apresentou um beat, na verdade um loop do beat, mas foi algo incrível que enriqueceu ainda mais aquela tarde. A música nos uniu ali, no levou a nos conhecermos, a trocar ideias e nos aproximarmos como pessoas, como amigos. Saímos dali bem leves, pois tivemos um dia da hora, e ainda mais ansiosos para começar de fato as gravações desse Guia Prático.


Diário de Gravação #01

Agora de fato começaram as gravações! Combinamos de colar la no Milgrau Tape as 10h da manhã, passei no Siloque e partimos. Lá nos aguardavam o Beiço e o mano B12, e esse foi outro dia muito louco de produção. Estávamos nos organizando pra iniciar, mas pelo horário, que era de manhã, mas se aproximava do almoço, fizemos um corre na padoca pra pegar um pão com mortadela e uma tubaína, nessa fomos eu e o Beiçola, quando voltamos os manos tava fazendo um freestyle em cima do beat de "Fake News", chegamos a tempo de ver o malucão do B12 mandando "os manos ai é zica, chegaram pra acabar com a larica!".

O Siloque não quis comer, tava concentrado, beat no falante, letra na ponta da língua, e se aquecia pra dar start na parada, eu só molhei a palavra no refri, os outros dois doidos acabaram com a larica. O novo software exigiu uma configuração, que foi feita com auxilio de um mano do Silas, via whatssap, logo estavam todos em seus postos, Siloque no mic, Beiço no pc, eu ali observando e registrando, e o B12.., bem o B12 tava ali, baleado da noite passada, mas logo despertou quando as rimas pipocaram: "Vocês se alimentam de fake news, vivem por likes e views!"

A gravação foi sucedendo de forma super positiva, tudo dentro do esperado, e rapidamente já havíamos gravados 1/3 da música e fizemos uma pequena pausa recreativa, escutamos a gravina e tivemos ótimas impressões daquele resultado de momento. Nesse instante precisei vazar, tinha uma entrevista pra realizar, deixei os manos e fui pra uma missão a parte, cerca de duas horas depois retornei. A gravação já havia sido concluída, e os manos finalizavam a montagem da track, inclusive com os vocais de apoio. A ideia era apenas fazer pequenos ajustes, já que a arte da mixagem seria feita pelo Lêo, que tem propriedade para o assunto, o Siloque apenas ajustou a música a fim de que pudêssemos ter uma prévia para irmos ouvindo, numa especie de pré-mixagem. E assim "Fake News" estava entre nós, e não era uma noticia falsa, era real, a primeira música do Guia Prático de Como Fazer Inimigos" estava ali, em beat e voz, obviamente inacabada, mas já tava pra sentir o peso da mensagem que o Siloque noticiava.

Espetamos o pendrive com a track no som do carro e corremos pro abraço, mas não havia saído o gol... O áudio estava em wave, e esses malditos tapes modernos só tocam MP3, pelo menos é assim no meu carro, então voltamos pra casa sem conseguir ouvir o som fora dos domínios do Milgrau Tape, é claro que ouvimos lá por várias e várias vezes, mas sabe como é ansiedade, né? Cheguei em casa e corri pra converter a parada pra MP3, e logo compartilhei com o Silas, agora sim, já podíamos curtir o som no carro, na sala, no quarto, cozinha e onde mais quiséssemos"

Diário de Gravação #02

Colei por volta do meio dia na casa do Siloque, o mano Beiço já estava lá. Batemos um rango da hora, feito pela Fernanda Zanatta, enquanto curtíamos um som e desenrolamos um papo sobre música, sobre alguns lançamentos, sobre nomes da cena e tal, mas o assunto principal era sobre a gravina do dia anterior, "Fake News", falamos sobre o que ficou bom e o que era necessário mexer ainda, enquanto o som estralava nos falantes.

Então partimos em direção ao Milgrau Tape Studios, fazendo antes uma rápida parada na agência dos Correios para que o Beiço deixasse um envelope. A conexão entre Siloque, Beiço e eu estava da hora de mais, a música uniu três caras simples tanto para o objetivo comum, que é o EP, como para todas as ideias que trocávamos.

Ao chegar no Milgrau Tape Studios tivemos um contratempo com o PC que insistia em não ligar, mas nossa insistência foi maior, e logo a parada tava no jeito pra gravar uma nova track. O Silas voltou rapidamente pra "Fake News", para fazer os ajustes que julgou pertinente, pois além de ser responsável pelas rimas e pelo flow, o mano colocava sua visão como produtor, e seguiu uma linha de exigências para que o trampo saísse firmeza. Tais exigências incluíam regravar voz para as linhas finais, pois achou que destoava do restante. Então tudo em ordem, iniciamos a gravação, mas algo estava errado, o retorno não vinha, além disso o software não gravava o áudio pronunciado. A preocupação se converteu em alívio quando vimos que o mic não estava plugado (risos).

A próxima faixa a ser gravada foi "No Passinho do Imbecil", beat exportado, mic plugado, letra no jeito, e Beiço deu o play na gravina e Siloque mandou a rima. Apesar de uma letra maior, e se pá até mais complexa do que "Fake News", "No Passinho do Imbecil" foi mais fácil de captar voz, e fazer os pequenos ajustes antes de mandar para mixagem, isso se deve por que o Silas tava mais a vontade, pegando as manhas do estúdio, e o Beiço que já dominava sua função, contribuiu pra parada acontecer de forma prática e rápida.


Diário de Gravação #03

Ficamos umas três semanas sem gravar, a falta de grana somada a agenda da galera impossibilitou que o encontro para nova gravina acontecesse antes. Nos organizamos para gravar numa quinta feira, mas nesse dia o Brasil foi assolado com a paralisação dos caminhoneiros, que acarretou na falta de combustível em todo o pais, num vexaminoso episódio do governo golpista de 2018. Eu estava sem gasolina no dia, e a ideia era abastecer, colar no Silas e de lá encontrar com o Beiço no Milgrau Tape, porém a fila no posto me segurou por quatro horas...(se arrependimento matasse!), Enfim, o encontro só aconteceu na segunda-feira, dia 28 de maio. Junto de nós, colou o Paulo Sérgio, um mano firmeza que acompanhou com entusiasmo o trabalho do Siloque, do Synestesia, do Submundo do Som e o do Programa Consciência Brasileira.

Chegando no estúdio, fomos presenteados pelo Beiço com o disco físico do Synestesia, o EP V.I.D.A., que confesso que estava ansioso para ter a minha cópia. Rolamos aquele tradicional papo sobre a cena do rap, os lançamentos da semana, mas fomos sagazes, pois o horário era corrido, e o objetivo era sair dali com duas faixas gravadas. As duas faixas são com participações especiais, uma seria com o Ras, poeta de Piracicaba (que infelizmente não aconteceu), e a outra com Pein (hoje Seh da Rua, a Bixa Antifa), MC de Itu, desse modo as gravações de voz do Siloque seriam mais curtas, já que dividirá espaço com outros artistas, mas são cruciais para que os rappers convidados sintam melhor a proposta e construam suas participações. A primeira a ser gravada foi "Vocês São Os Romanos", que começa com uma melódia cantada, a principio o Silas ficou preocupado em achar o tom correto, o que gerou uma trabalho a mais até chegarmos na pedrada que ficou no disco, o Beiço também gravou algumas dobras, justamente nas partes mais cantadas, e a voz rouca do mano deu um peso para o som. Essa faixa foi gravada de forma rápida, sem muitos contratempos, pois Siloque já dominava a letra, o flow e o tempo, foi mesmo uma questão de aperta o rec e capturar a voz.

A segunda gravação do dia foi "Vinho", mas não foi uma gravação oficial, foi apenas uma guia para que Pein (Seh da Rua) sentisse a vibe da track, assim como a gravação anterior as duas seriam enviadas ao feats, e precisava ser feita com certa antecedência para bom andamento do projeto. Mesmo a gravação sendo "tosca", ficou de uma qualidade da hora, o suficiente para espetar o pen drive no carro e vir curtindo o som.

A noite tivemos uma novidade, Leo Machion ia colar com um beat no projeto! O disco poderia ganhar mais uma faixa! 


Diário de Gravação #04

Numa nova quinta-feira estávamos lá no Milgrau Tape Stúdio, chegamos por volta das 13h00, a missão era gravar duas faixas até as 17h00, essas seriam "#Vcmedanojo", que inclusive teria a particiáção do Synestesia e a gravação oficial de "Vinho", e dessa forma acabaria as gravinas para o EP. Porém havia o beat do Leo Machion, será que dá tempo de desenrolar uma letra, gravar e incluir nesse projeto? O Siloque tinha umas ideias, mas eram apenas fragmentos, ainda estava longe de uma letra com o peso das demais, nesse momento Beiço comprou a ideia e ajudou a somar nas melodias e dar os vislumbre para que Silas se empolgasse e pegasse firme para bater o martelo e decidir: O Guia Prático terá sim uma faixa a mais!

Mas essa nova faixa ficaria para um segundo momento, pois a missão aqui era registrar o que já estava planejado. Essa reunião acontecia na quinta, e sabíamos que uma nova rodada seria necessária na sexta, pois o dia seria curto para captar tanta genialidade. O ponto é que na segunda-feira, eu começaria uma jornada nova de trampo, e minha agenda ficaria limitadíssima, e meus companheiros sabiam disso, e assim nos esforçaríamos para gravar as duas faixas nesses dois dias, deixando a nova para um futuro próximo ainda não decidido. 

A música que iniciamos os trabalhos foi a "#Vcmedanojo", que apesar de ser mais curta, ela tem linhas melódicas e demorou um pouco para que fosse encontrado o tom e flow perfeito para ela, esse atraso comeu nosso dia de gravação, que apesar da busca incansável pelo ótimo, chegamos num denominador comum e a música foi concluída. Aproveitando a presença do Beiço que já gravou sua participação, e ficamos extremamente satisfeitos e felizes com o resultado da gravina. Faltavam as partes do Leo e do Anauê, mas podias dizer que "#Vcmedanojo", estava entre nós, ou não...


Diário de Gravação #05

Sexta-feira, 08 de junho, nós estávamos lá para o que achávamos ser o último dia de gravação para o Guia Pratico de Como Fazer Inimigos. Estávamos animados demais, pois já tínhamos: "Fake News", "No Passinho do Imbecil", "Vocês São Os Romanos" e "#Vcmedanojo", além de uma versão guia de "Vinho", assim tinhas uma visão do total do disco, já podíamos ouvir de ponta a ponta e curtir a vibe do mesmo. O sentimento de aproximação da reta de chegada animava muito, então Silas se sentiu mais a vontade para criar e experimentar na nova faixa, que seria em cima do beat do Léo Machion, e a música foi batizada de "Dritte Welt Edukators", inspirada no filme Edukators, (Alemanha, 2014), do diretor Hans Weingartner, com uma melodia peculiar e letra tão sinistra quanto o macabro beat.

Começamos as gravações de "Vinho", dessa vez a versão original, a qual teria a participação da Seh (Pein), essa seria uma faixa mais simples de ser gravada, por não ter tanta variação no flow, ser mais reta e também mais curta, justamente por ser dividida com o grande Pein. Acompanhei a gravina dessa faixa, que correu de forma sucinta e rápida, depois Siloque faria a pré-mix dessa, e da faixa do dia anterior, "#Vcmedanojo", e depois marcaríamos uma última sessão para gravar a música nova. Nesse momento saí do estúdio para um outro compromisso, cerca de 1 hora e meia depois retornei, e o semblante dos manos era preocupante, todos cabisbaixos, não entendia o que estava acontecendo, até que veio a bomba: "#Vcmedanojo", gravada no dia anterior, estava com o arquivo zuado, a música estava lenta, como se estivesse em rotações abaixo, não sabíamos o que fazer para ajeitar, e olha que tentamos de tudo, e não teve remédio, teve que grava-lá novamente...

Saímos do estúdio beirando a meia noite, pra quem tinha como data limite até as 17h00, mas missão cumprida, regravamos a música em questão, e PQP, a nova gravina ficou bem melhor que a anterior, esse é um daqueles lances que acontece sem sabermos o porque e no final a bagaça saiu mais da hora do que o esperado, valeu a pena todo o esforço extra. Com isso faltava apenas a gravação da nova faixa e os feats do álbum, que cada convidado iria desenrolar a sua participação e nos enviar para montarmos e mixar.


Diário de Gravação #06

Nos reunimos novamente em estúdio no dia 26 de julho, mas antes disso muita coisa aconteceu. A começar com a participação do Synestesia no projeto, o Léo gravou sua parte, e o beiço já tinha feito a sua, isso para a música "#Vcmedanojo", também veio a noticia que o Anauê ia somar no baguio (até então não estava bem definido), o que deixaria a faixa mais sinistra ainda. Por outro lado, infelizmente não deu certo a participação do Ras, que por uma questão de agenda não conseguiu participar, mas se propôs a fazer uma parceria Siloque & Ras para um futuro próximo, com isso colou o mano Teagacê, rapper potiguar e um dos maiores talentos que já vi, e um dos melhores amigos que o rap me deu. Lembro que o Silas me mandou via whatsaap, numa segunda a noite, a música "Vocês São Os Romanos", com a participação do Teagacê, mas eu só vi na terça de manhã no trampo, corri no banheiro, entrei num dos sanitários e fechei a porta para poder escutar essa tijolada e fiquei em choque, que rima pesada! Não sabia o que pensar, nem o que falar, somente pensava: "Que foda!"

Mas antes de recebermos a contribuição do Teagacê, havíamos recebido a do Pein, ou Seh, como está sendo conhecida agora. Outra participação fodida pra esse álbum que é um artista peso pesado. Então para contextualizar o que temos até aqui: é a faixa "Fake News", "No Passinho do Imbecil", "Vocês São Os Romanos" e "Vinho", essas 100% prontas (antes da mixagem e masterização), e pendente a participação do Anauê em "#vcmedanojo", e a gravação de "Dritte Welt Edukators", que é justamente o que fomos fazer nesse dia.

Vale lembrar, também,  que no dia 23 de junho aconteceu o 1º Festival de Cultura Urbana, na cidade de Pedreira, e Siloque e Synestesia foram escalados para fazer show, nessa nos reunimos uns dois dias antes, eu, Beiço e Silas, para ver o repertório para o evento, e com isso vi em primeira mão a letra de "Dritte Welt Edukators", canção que estremeceu as bases, de tão pesada, faltaria apenas o Beiço escrever a sua parte, e logo veio a noticia de que o Léo também colaria nesse som, deixando o bang mais doido ainda.  

Nesse meio tempo, Siloque como dono do projeto e produtor, escutou exaustivamente as músicas gravadas, e pontuou algumas melhorias, coisas minimas, mas importantes para um brilho a mais. Então a nova missão era gravar essa nova faixa e fazer os ajustes finais nas outras faixas e depois mandar tudo pra mixagem. Porém novamente o destino arquitetou um plano contra nossos planos, as gravinas de "Edukators" (como ficou carinhosamente conhecida), aconteceu de forma suave, a essa altura qualquer gravação já fluía de forma bem natura e fácil, o único problema foi com "No Passinho do Imbecil", que sabe-se lá por que cargas d'agua a música ficou zuada, a exemplo do que aconteceu com "#Vcmedanojo", a noticia entristeceu, e preferimos encerrar o dia de gravação ali e ver o que se pode fazer em um outro momento.


Diário de Gravação #07

O último dia de gravação foi oficialmente em 01 de agosto de 2018, numa quarta feira. Antes dessa data havíamos estudado uma maneira para concertar o bug que deu na música "No Passinho do Imbecil", um camarada do Silas deu a letra, e assim foi possível a aproveitar a gravação, que só aguarda o feat do Anauê. Um dia antes o Léo colou no Milgrau Tape Studio e junto do Beiço gravaram suas participações em "Edukators", o que nos deu mais uma faixa 100% terminada.

Esse último dia de gravação foi apenas para gravar alguns ataques e regravar algumas linhas que o Siloque julgou necessário. Particularmente acho da hora esse cuidado do mano com a qualidade do projeto, perfeição não existe, mas temos que perseguir o ótimo, e o mano não tem preguiça e muito menos medo de apagar um trecho e regravar, isso só comprova sua qualidade como artista e seu talento como produtor.

O foco total desse dia foi para "Dritte Welt Edukators", onde teve algumas linhas repaginadas, assim como outras faixas também tiveram, mas essa em questão tinha a participação do Synestesia, e foi de suma importância a presença do Beiço ali para a decisão de acrescentar alguns "ataques" com o intuito de melhor preencher a música, uma parada que vei pra somar e deu uma incrementada legal na música. O Guia Prático de Como Fazer Inimigos estava finalizado!

Finalizando

O Leo, como mencionado, iria fazer a mixagem, todos os arquivos foram para ele, que cuidadosamente deu um brilho a mais em cada um das faixas, no resultado que você confere abaixo. O Submundo do Som fez a distribuição do álbum pelo Onerpm, eu e o Siloque cuidamos disso, fizemos o agendamento. A essa altura já tínhamos capa e contra capa, e assim os arquivos também foram para a confecção das mídias físicas. Era de extrema importância que o álbum ganhasse as ruas antes das campanhas eleitorais de 2018, pois o disco além de um protesto serviria para alertar brasileiros a não fazerem cagadas nas urnas. O resultado eleitoral você conhece, infelizmente a ignorância assumiu o comando do país da piada pronta, e o Guia Prático de Como Fazer Inimigos segue como uma obra atemporal, e de tapa na cara de "minions" e nos quatro anos de trevas desse governo, será o disco de resistência, e para satirizar os defensores do indefensável. Orgulho de fazer parte dessa obra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário