Acontece

[Acontece][bsummary]

Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

Livro | Vagando Por Aí a história de Nem Tosco Todo


Para ser sincero não me recordo como virei amigo do Nem no Facebook, mas deduzo que alguns gostos em comum fizeram o algoritmo nos conectar, pelo menos uma bola dentro essa rede social tinha que dar. Quando digo gostos em comum, me refiro ao punk rock, Nem é vocalista da banda Cama de Jornal, de Vitória da Conquista, na Bahia, também tem o projeto paralelo Nem Tosco Todo e as Crianças Sem Futuro e tem a essência do velho punk com a consciência que os tempos modernos pedem.

 

Meu primeiro contato com o Nem foi em 2018, quando lançamos o álbum Guia Prático de Como Fazer Inimigos, do meu mano Siloque, eu estava atuando na divulgação e o release chegou para o Nem e o seu blog Tosco Todo. Muito solicito o vocalista pediu algumas informações adicionais e postou um texto bem massa sobre esse disco (veja aqui). Depois, pelo Submundo do Som, passei a fazer algumas entrevistas em áudio, no formato podcast, com autores de livros ligados à música e o Nem tinha lançado a obra Vagando Por Aí, e pensei que seria bem da hora trocar essa ideia com ele. No primeiro contato, Nem me disse que não tinha whatsapp, e aí achei que não ia fluir, pois a dinâmica era um bate papo por áudio pelo aplicativo e depois uma edição básica, fiquei triste por achar que não conseguiria, pois realmente estava afim de bater esse papo. No entanto, o próprio Nem me deu alternativa, ele pediu para eu enviar as perguntas por áudio, por e-mail, que ele gravaria as respostas em estúdio, e assim fizemos, e você confere aqui se quiser.

 

Quando consegui uma grana extra quis comprar o livro Vagando Por Aí, mandei uma mensagem para o Nem, no Facebook, e por coincidência ele estava indo no correio, me pediu os dados e me mandou o livro, pedi os dados bancários para depósito e o Nem me surpreendeu com a fala: "Não ficou nada não, depois você me manda um dos seus livros, que já era". Cara o Nem sabia que eu tinha livros, isso foi demais, além disso prezo muito por esse intercâmbio cultural e escambo de arte. Mandei para ele o livro 30 Anos do Disco Hip Hop Cultura de Rua e mais alguns CDs que ajudei a produzir de alguma forma.

 

O livro Vagando Por Aí do ponto de vista estético é uma obra muito bonita, tem um acabamento muito bem feito e projeto gráfico bem elaborado. No ponto de vista literário, é um livro leve e cativante que nos transporta para as ruas de Conquista e nos fazem acompanhar a trajetória de Emanuel, esse cara Tosco Todo. Eu estava muito ansioso para lê-lo, sabia por alto que o Nem era um cara foda, afinal é um punk das antigas, sabia minimamente de sua importância cultural, pois só pelo fato de ter uma banda resistência, já merece todo respeito, além disso o cara é um escritor e eu estava afim de conhecer mais e melhor sua história, escrita por ele mesmo. Quando iniciei a leitura me deparei com as páginas iniciais onde chegados do Nem falam um pouco sobre como o conheceram e sua relevância na cena não só de Conquista, mas de seu estado, Nem não somente faz música, ele vive a música, organiza eventos e atua fortemente nos bastidores do bom e velho rock n' roll.

Peque amostra do livro Vagando Por Aí, nessas páginas, o show de 10 anos da Cama de Jornal

Em seu livro, Nem fala da sua infância, relações familiares, a fundação da Cama de Jornal, gravação de discos, shows, eventos, viagens, angústias, acertos, erros, perdas e conquistas, tudo de uma forma sincera e humilde. Das muitas passagens da hora que o livro tem, eu poderia destacar várias, mas o ideal é que você adquira o livro e tenha a mesma experiência incrível que eu tive, mas para aguçar o desejo de entrar nessa viagem literária, vou relatar brevemente um relato bem foda do livro, que é quando a Cama de Jornal completou 10 anos de estrada, Nem queria organizar um evento épico e que mexeria com as estruturas do rock de Conquista, para isso convocou os amigos da banda Cólera, talvez o maior nome do punk brasileiro. Redson e seus amigos de banda foram para o interior da Bahia em um show em praça pública e de graça, organizado pelo Nem, realizando um sonho seu e de muitos daquela cidade.

 

Outro ponto emocionante, e que é o motor desse livro, a motivação para que Nem o escrevesse, é que se trata de um projeto literário pensado na Alice, sua filha. O punk quer que garota saiba quem foi seu pai por ele mesmo, pelas histórias que trás aqui, e tenho certeza de que a Alice terá muito que se orgulhar desse grande homem.

 

Ao ler a obra Vagando Por Aí, o sentimento que se tem é de estar próximo do Nem, mesmo a milhares de quilômetros de distância, me senti intimo dessa cara que nunca vi na vida, e tudo que eu queria ao acabar de ler esse livro tão foda era dar um abraço nesse mano.

 

Para quem quiser saber mais histórias do Nem, adquira o livro, dá um pulinho no Facebook ou Instagram dele, ou até mesmo no blog, Nem Tosco Todo, e fortalece aí esse mano que é fortaleza e a cara do punk rock de Conquista!

Aquela dedicatória com carinho do amigo Nem


 Confira um pouco da Cama de Jornal com o álbum A Revolta dos Miseráveis, se liga:

2 comentários: