Acontece

[Acontece][bsummary]

Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

o Primeiro Ato do Pavilhão 9

 

O Pavilhão 9 é conhecido por sua mistura de rap e rock, além das letras pesadas e contestadoras que causam incomodo, principalmente na burguesia e o braço armado do sistema. A estreia do grupo se no álbum 1º Ato, quando ainda não havia os instrumentos orgânicos e formação de banda, apostando na bateria eletrônica e samples. Segundo o próprio P9 o lançamento do álbum foi em 01 de junho de 1992, porém vemos nos rótulos do vinil o ano de 1993.


O álbum foi lançado em vinil e tem seis faixas, sendo quatro versões para a música “Otários Fardados” seguida de “Calibre 12” e “Manos Errados”. A música de trabalho “Otários Fardados”, que como o nome entrega é uma crítica a polícia, causou problemas ao grupo que foi perseguido pelos fascista e por isso passaram a se apresentam usando máscaras. O disco abre com “Otários Fardados (Recrutamento)” com a versão oficial do som, na sequência da versão instrumental somente com as colagens intitulada “Otários Fardados (A Fuga)” e fechando o primeiro lado a versão “Otários Fardados (Solitária)”, quase que a capella somente com scratches e um ou outro elemento de bateria.


No lado B temos as faixas “Calibre 12”, um instrumental com scratches e colagens seguido de “Manos Errados”, com base romântica e letra gangstar. Por fim, “Otários Fardados (Pelo Espelho)”, essa última versão, apesar do nome, é uma espécie de dud de “Manos Errados”.


O disco foi lançado pelo selo Niggaz em vinil de 12”, foi fabricado pela BMG Ariola Discos e pela MCK, já a distribuição ficou pela Bullet Records. A produção ficou a encargo de Marcelo 2DaBone, que também assina as produções do Racionais em Holocausto Urbano e Escolha Se Caminho. A formação do P9, nesse trabalho, era Branco, Pivete, Camburão e Rhossi.


O Pavilhão 9 furou a bolha que era muito comum naquele início de anos 90, quando o rap no Brasil ainda vivia seus primeiros anos, o grupo não saiu em nenhuma coletânea como era comum, lançaram um álbum próprio que iniciava a caminhada de um grupo de importantes artistas. Branco, Pivete, Camburão, Rhossi, Doze e vários outros grandes nomes do rap nacional se formaram no Pavilhão 9.


Nenhum comentário:

Postar um comentário