Lançamento

[Lancamento][bsummary]

Acontece

[Acontece][bsummary]

Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

Entrevista | Digão O Militante



O Submundo do Som bateu um papo com Rodrigo Messias, também conhecido como Digão O Militante, rapper de longa caminhada no Hip Hop, mas que também, em sua carreira, flertou com o rock e reggae em sua passagem pela banda Cabanis. Em seu retorno para carreira solo, lançou singles e segue trabalhando fortemente. Nesse bate papo O Militante conta um pouco da sua história e projetos, confira:

 

Submundo do Som - Salve! Primeiramente, muito obrigado pela troca de ideia e quero começar pedindo para que se apresente, quem é o Digão O Militante?

 

Digão O Militante - Rodrigo (Digão O Militante) é um cara simples, filho sem pai, mas filho de uma mãe guerreira, que me mostrou e me levou a ser este homem que sou, sou pai de um grande menino de 10 anos, sou casado. Tenho 21 anos de Hip Hop, sou um cara sonhador e esperançoso que acredita na igualdade e em um mundo melhor, sou persistente, batalhador acredito que nada vem na mão então sempre busco ir atrás e me dedicar naquilo que me proponho a fazer, vivo da arte, trabalho com audiovisual (Foto, vídeo e edição de vídeos), não vivo de música, mas sonho um dia em viver, mas hoje com 40 anos com os pés no chão, só no sapatinho.

 

Submundo do Som -  A alcunha “O Militante” é bem forte, e bem da hora, como você optou por esse nome artístico e o que quis/quer transmitir com ele?

 

Digão O Militante - Da hora, este nome foi me dado em um show tem uns 17 anos atrás, um brother curtiu o som e falou bem político e poético seu som, Militante mesmo, no momento não dei atenção depois fui estudar e pesquisar sobre o significado e ver se já tinha algum Mc com este nome, daí para a frente assumi este vulgo (nome artístico), a galera confunde o significado da palavra e quer resumir a partido político, esquerda, direita. Tenho sim opinião política, a minha militância e pela música, eu levanto bandeiras sim por igualdade, justiça, sobrevivência eu sou um sonhador, vejo muitos militantes por aí contrariando a estatística, trabalhando, estudando, indo para o caminho certo, se dando bem na vida.

 

Submundo do Som - Como que o Hip Hop chegou na sua vida e quais foram suas influências para começar a fazer rap?

 

Digão O Militante - Comecei ouvindo Música/ Rap aos 6 anos onde ficava na casa de uma senhora que cuidava de crianças e o filho dela era bem mais velho e já ia aos bailes blacks e escutava muito rap americano Public Enemy, Run DMC, KRS One, Mad Lion, Born Jamericans, Ini Kamoze e nacionais como Racionais MC`s, Thaide e DJ Hum, GOG. Eu me apaixonei pela mistura do Rap com o Reggae e suas vertentes que me chamaram a atenção principalmente (KRS One, Mad Lion, Born Jamericans e Ini Kamoze) esse flow rasgado com uma voz grave e rouca, com bases dançantes.

 

Submundo do Som - Você teve uma experiência de mais de 10 anos com banda, a CABANIS, como foi esse projeto? Você acredita que por estar com banda conseguia se comunicar com um público mais abrangente para além do rap?

 

Digão O Militante - Banda é outra realidade, são várias cabeças pensantes somando em prol de um sonho. A meta era alcançar um público maior e alastrar a nossa visão e tentar ser reconhecido na mídia, nos palcos e eventos. A ideia era misturar (Reggae, Rock, Rap), fazer músicas urbanas, cotidianas, poéticas, com um cunho político, social e de desabafo. A galera confundia com Cannabis mas é Cabanis. Li um livro e gostei dos pensamentos deste filósofo francês chamado Pierre Jean Georges Cabanis. Eu fui o fundador, vocalista e letrista da banda, aprendi muito musicalmente e abriu muito o horizonte, com o tempo ocorreram muitas entradas e saídas de integrantes e isso foi desgastando o projeto até ter que dar uma pausa e vir o término da banda.

 

Submundo do Som - Digão, depois de tanto tempo com banda, como foi voltar à carreira solo? O primeiro lançamento foi a música “Sonhador”, certo? Conta um pouco desse momento da sua vida.

 

Digão O Militante - Puts foi demais voltar por que achava que conseguiria parar e ficar sem fazer música, mas eu não consigo, ela que me traz a vida me dá fôlego e esta canção em especial tem muita representatividade na minha vida, sonhar é algo transformador e isso ninguém tira de você, independente da sua classe social, e minha mulher sempre falava para mim músico é tudo sonhador, isso entrou na minha cabeça e eu estava inspirado por que tinha virado pai, aí veio aquele flashback do passado, presente e futuro e toda minha história e de várias outras pessoas e escrevi este som que tem uns 10 anos. Com a pandemia e estar em casa trabalhando home office fui juntando as letras, organizando o registro da marca, site, redes sociais e defini que este som "Sonhador" teria que ser o pontapé inicial do meu retorno e a carreira solo, e foi muito bem aceita pela galera.

 

Submundo do Som - Depois houve o lançamento de três singles, né? Comenta um pouco sobre eles: “Menina Eu Ganhei O Céu”, “Leão Na Selva” e “A Proposta”.

 

Digão O Militante - Isso mesmo, foram canções bem trabalhadas e bem diversificadas, "Menina eu ganhei o céu" foi em parceria com meu mano Rodrigo Motta (@digo_wendell), ele tinha feito um trecho falando de uma parceira muito especial para ele e eu curti o tema e resolvi escrever uma parte falando da minha mulher e fechamos este som; “Leão na Selva” meu mano de Brasilândia DJ Neew (@djneewnosbeats) fez este beat e me apresentou foi paixão à primeira escutada, logo no mesmo dia comecei a escrever um reggae/ ragga e ficou muito pesada abordei os seguintes  temas: superação, resgate de valores, problemas sociais e levantei a bandeira que somos leões nesta selva. "A Proposta" fui presenteado há uns 15 anos por uma amiga que canta muito e tem uma puta representatividade no Rap Tia Billy, me apaixonei pela letra, mas guardei ela por um bom tempo para depois colocar ela em pauta para ser gravada.

 

Submundo do Som - Recentemente você lançou a música “Tentativa de Libertação”, que saiu no final de janeiro, qual a mensagem que você quis transmitir com essa canção? E como foi a repercussão? Você acha que conseguiu atingir o objetivo?

 

Digão O Militante - Que precisamos de mais amigos e pessoas ao nosso lado, e que temos que cair e se levantar sempre e nunca perder a fé no que se acredita, existem vários caminhos e creio que cada um pode achar o seu, persistindo e resistindo. Cara, ela foi bem aceita e curti fazer esta mistura da vertente do reggae Jamaicano e o Ragga com um flow de Rap, um som mais POP não fugindo da minha essência, a galera está pedindo outros sons elogiando e curtindo o meu retorno, pedindo show, mas com a pandemia ainda está meio devagar organizar e fazer shows.

 

Submundo do Som - Mano, como você vê a atual cena do rap nacional, principalmente aí na sua área, e paralelo a isso, como o rap nesse momento de caos político que o Brasil vive, como o Hip Hop pode ser ferramenta de combate?

 

Digão O Militante - Mano esses anos me fizeram mudar muito e ver que ser músico e literalmente ter uma empresa, levantar uma bandeira e representar a voz de muitos que não conseguem falar, ainda mais nestes tempos de pandemia que estamos em casa e consumindo muito mais música vendo filmes, séries, jornal. Na quebrada eu vejo muitos manos com um puta potencial mas pouca grana para investir e muito poucos picos para mostrar seus trabalhos, ainda vejo muita disputa o mercado é bem competitivo e cruel às vezes. Sobre a política no Brasil, está complicado de falar a população está dividida e só assimila o que vê na TV não pesquisa, não busca entender, tudo é PT e Bolsonaro, levantam bandeiras abaixam bandeiras e nem sabem para quê e para quem, o país é rico mas a riqueza não é bem dividida e muito menos distribuída da maneira que tem que ser, é nosso dever como cidadão ter uma opinião política e lutar por alguma coisa que se acredita, só não podemos achar que somos donos da verdade, tem que saber falar, escutar e aprender. O Hip Hop sempre foi e é a voz dos excluídos e ferramenta de conscientização, é escola, cultura e forma de viver, salva vidas, ele me mudou como pessoa e homem de princípios e valores.

 

Submundo do Som - Cara, fiquei muito feliz em ver seu site, lá é tudo muito bem-organizado e isso ajuda demais o trabalho de quem pesquisa e escreve sobre música, para nós das mídias independentes é sempre muito bom se deparar com artistas assim, que valorizam sua própria obra e organizam sua história. Comenta sobre isso mano.

 

Digão O Militante - Trabalhando com audiovisual me fez enxergar de uma forma mais organizada, e o mercado me fez ver que tudo que é fácil de pesquisar e prático de usar, chama mais a atenção do público que consome mais conteúdo, porém lê menos e assistir mais a vídeos. A maturidade me mostrou que artista tem que ser empresa, empresário, social mídia sendo independente no Brasil.

 

Submundo do Som - Indica para nós alguns aliados seus que fazem música para que possamos conhecer mais artistas que estão aí na correria e não chegam a todos os públicos do rap.

 

Digão O Militante - Dabliuê @we_dabliue_rap, curto muito os sons dele e ele é muito firmeza, Dj Neew @djneewnosbeats, produz muito é um parceiraço nas minhas produções, Cocão A Voz @cocao_avoz, parceiro e monstro na rima e na poesia, Luiz Celestino @luizcelestinoreal, humilde demais e canta muito.

 

Submundo do Som - Digão, nessa caminhada pela música, quais os sonhos que você ainda deseja realizar?

 

Digão O Militante - Cara tem uma cota que almejo em lançar um LP (vinil) fechar um CD completo e gravar com um cara que admiro muito na música que é o Marcelo Falcão, d’O Rappa.

Não me deslumbro mais com a música igual antes quando era mais jovem, eu curto e acho surreal ver a galera curtindo, cantando e falando bem da sua música se identificar.

 

Submundo do Som - Qual a mensagem que você deixa para quem acompanha o seu trabalho e que nos segue nesse bate papo?

 

Digão O Militante - Continue a sonhar, tenha fé e foque no que quer fazer na sua vida, sempre persista e se cair, levante e siga em frente por que isso é viver, seja justo, simples e se ame, de valor a sua família e amigos. Viva a vida porque o tempo voa e o céu é o limite para os sonhadores.

 

Submundo do Som - E para quem quiser acompanhar mais de perto o trabalho do Digão O Militante como faz? Quais são suas redes sociais?

 

Digão O Militante - Site: www.digaoomilitante.com

YouTube: Digão O Militante

Instagram: @digaoomilitante

Facebook: @digaoomilitante

Spotify: Digão O Militante

E- mail para Shows e afins: digaoomilitante@gmail.com

Contato: 11 97412-3110


Ouça:


Nenhum comentário:

Postar um comentário