Lançamento

[Lancamento][bsummary]

Acontece

[Acontece][bsummary]

Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

Facção Central & Gilberto Barros: A Mais Estranha Colaboração do Rap Nacional


Em 2001 o rap nacional ganhou uma de suas mais inusitadas construções, a música "Um Mundo Melhor", não pela ousadia de sua sonoridade, mas pelos nomes envolvidos no feat. De um lado temos o Facção Central, um dos mais contundentes grupos, com críticas afiadas e lírica nua e crua sobre a realidade do país e principalmente das periferias, do outro lado o cantor e apresentador... Leão, o Gilberto Barros.

O Facção Central dispensa apresentações. O grupo foi formado em 1989, na região central de São Paulo, a qual engloba os bairros do Glicério, Cambuci e Ipiranga. O grupo iniciou suas atividades com Eduardo, Jurandir e Nego (que depois ficou conhecido como o rapper Mag). Porém, Nego e Jurandir deixaram o grupo, e no lugar entram Dum Dum e Garga, e em 1993 o Facção Central participa da coletânea Movimento Rap II, com a música "A Cor" e desde então fizeram história no rap brasileiro. A formação que projetou o grupo foi com Erick 12, Dum Dum e Eduardo Taddeo, responsáveis por grandes álbuns como Estamos de Luto (1998), Versos Sangrentos (1999) e A Marcha Fúnebre Prossegue (2001).

Para promover o álbum Versos Sangrentos o Facção lança o vídeo clipe da música "Isso Aqui É Uma Guerra" (assista aqui). Lançado em 2000, o clipe, dirigido por Dino Dragone e produzido pela Firma Filmes, foi vinculado a grade da MTV. No entanto o clipe sofreu censura e foi retirado do ar, além disso, a polícia judiciaria determinou a apreensão da fita original junto a MTV, por uma ordem do juiz Mauricio Lemos Porto Alves, do Departamento Técnico de Inquéritos Policiais. Os integrantes do Facção Central, que apareciam no clipe, chegaram a serem presos por um breve período e responderam criminalmente pela acusação de apologia ao crime, sendo enquadrados nos artigos 286, 287 e 1940 do código penal.

Eduardo Taddeo nos bastidores do clipe "Isso Aqui é Uma Guerra", do grupo Facção Central, no ano 2000. Fonte: Videos Raros do Rap Nacional

As imagens do clipe mostram Eduardo e Dum Dum dramatizando a vida do crime. As cenas chocaram os hipócritas e rolou a perseguição ao grupo. É aqui que o caminho do Facção Central e de Gilberto Barros se cruza. Mas antes, o Facção tem outro momento bizarro de sua carreira, quando o grupo vai ao A Casa É Sua, apresentado por Sônia Abrão, para debaterem a censura e explicarem o seu viés sobre o clipe. Nesse programa, a produção achou que seria uma boa ideia levar policiais que cantam rap para que o grupo escutasse “sua mensagem” e avaliasse sua performance. Confira abaixo:


Por sua vez, Gilberto Barros, começou sua carreira na Rádio Difusora de Lucélia, no interior de São Paulo. Apesar de ter cursado engenharia, Leão, como é conhecido, começou na TV no jornalismo como reporter do SPTV da Rede Globo, em 1983. Em 1988 se lança como cantor com o polêmico álbum Me Faz Um Carinho, depois disso lança outros oito discos e faz carreira como apresentador de TV em programas como o Cidade Alerta e o Sabadaço.

A colaboração entre Gilberto Barros e o Facção Central não foi bem uma parceria. Na realidade foi uma armadilha que o grupo caiu, como Eduardo conta em entrevista para o RapGyn, durante um show que fez em Goiânia, e que pode ser vista no vídeo abaixo. A situação foi que, no período em que sofreram a censura, o empresário da gravadora a qual faziam parte do casting, procurou o Facção e disse que um grupo de samba – fã do rap do grupo – se solidarizava com eles e o momento que passavam, e por isso queriam fazer uma música junto ao Facção Central para mostrar para o público fora do Hip Hop que não havia apologia nenhuma ao crime, e sim uma visão realista das mazelas da sociedade. Eduardo e Dum Dum acharam uma boa ideia, dessa forma poderiam mostrar que o Facção Central também tinha mensagens positivas.

A música seria uma campanha em prol do Facção Central. Após Eduardo e Dum Dum escreverem e gravarem suas partes, o empresário ficou responsável de apresentar as guias para o grupo de samba para que eles também gravassem. No entanto, mal intencionado, o empresário – sabe-se lá por qual motivo – entregou a parte gravada pelo Facção Central para o apresentador Gilberto Barros, que ficou com a missão de finalizar a música, gravando sua parte. Depois entrou nessa história o processo de produção que fez os ajustes necessários para unir na mesma track Gilberto Barros, o Leão, e o Facção Central, gerando o que Eduardo considera como uma “aberração”.



A música foi lançada no disco Chicauaca Chicabum, o sétimo de Barros. Esse álbum teve o intuito de ser um disco voltado para as crianças, com músicas que escoteiros cantavam em acampamentos e sua proposta era de agradar todos os públicos e apostava em arranjos de rock, folk, funk e... Hip Hop. “Um Mundo Melhor” foi a faixa de número 10 do álbum, de um total de 11, e ganhou o subtítulo de “Rap do Leão”. Chicauaca Chicabum foi lançado pela Sky Blue Music em parceria com a Rede Record e distribuido pela RDS. A capa e projeto gráfico é assinado pela Z3 Designer.

Track list do álbum Chicauaca Chicabum

“Um Mundo Melhor” contém sample de "Love Will Find You", lançada em 1979 no disco We're the Best of Friends, colaboração de Natalie Cole com participação do cantor de soul e R&B Peabo Bryson, e realizado pelo selo Capitol Records. Não há informações sobre o seu produtor e nem registro da música no site da UBC – União Brasileira de Compositores, sendo um mistério quanto aos seus diretos autorais. A música não está nos streamings, apenas em canais – não oficiais – no YouTube, ripada por fãs. Já o CD Chicauaca Chicabum se tornou uma raridade e é vendido no Mercado Livre pela bagatela de R$ 590,00.

álbum Chicauaca Chicabum pela bagatela de R$ 590,00 no Mercado Livre

Confira a música "Um Mundo Melhor", de Gilberto Barros e Facção Central: 



Letra:

[Gilberto Barros]

Não me conformo com as crianças nas ruas
Com meninas transformadas em prostitutas
Com as drogas invadindo os nossos lares
Com desempregados nos bares
Delegacia lotada, preso morto
Direitos Sociais em teoria pro meu povo
Meu deus não quero mais notícia de chacina
Violência na favela, na periferia
Joga a arma fora, chega de ódio
Sememie a esperança, o amor ao próximo
Um mundo melhor é a gente que faz
Não destrua o sonho de um dia haver a paz

[Refrão]

Um mundo melhor só depende da gente
Se você quiser pode ser diferente (duas vezes)

[Facção Central]

Te quero na escola, sendo um bom aluno
Sendo um orgulho, nota dez em tudo
Corta o coração ver tanto desperdício
Jovens jogando sua vida no lixo
Consumindo crack, assaltando banco
Ou na cela de um presídio mofando
Quero te ver sorrindo, criando seus filhos
Jogando bola com os amigos nas tardes de domingo
Joga a arma fora, chega de ódio
Sememie a esperança, o amor ao próximo

[Refrão]

Um mundo melhor é a gente que faz
Não destrua o sonho de um dia haver a paz
Um mundo melhor só depende da gente
Se você quiser pode ser diferente (duas vezes)

[Gilberto Barros]

Brasil, pra haver a paz tem que haver justiça
Violência não acaba apenas com a polícia
Criança na escola é igual a cidadão
Criança nas ruas é mais um na detenção
Dá uma chance pra favela e vai ter formatura
Ele pode ser um médico ou um professor
Ou um futuro presidente, um cantor, um ator
Joga a arma fora, chega de ódio
Sememie a esperança, o amor ao próximo

[Refrão]

Um mundo melhor é a gente que faz
Não destrua o sonho de um dia haver a paz
Um mundo melhor só depende da gente
Se você quiser pode ser diferente (duas vezes).

Nenhum comentário:

Postar um comentário