Lançamento

[Lancamento][bsummary]

Acontece

[Acontece][bsummary]

Resenha de Discos

[Resenha de Disco][bsummary]

Se Liga!

[Que Loko][bigposts]

Internacional

[Internacional][twocolumns]

Conheça | 30 Rappers Sul-americanos Pra Você Se Ligar


A América Latina transborda de talentos no Hip Hop, vozes que denunciam as duras realidades em que estam inseridos. A América do Sul, região na qual estamos inseridos, abriga um contingente de rappers, agentes do Hip Hop, que valem a pena serem ouvidos para além das fronteiras de seus país, para além de qualquer barreira linguística. O Submundo do Som lista 30 rappers sulamericanos para você se ligar e conhecer. Um passeio pelas nove nações que, junto ao Brasil, formam a plural e América do Sul. Conheça essas vozes e diferentes formas de se fazer rap em nosso subcontinente: 


Gotas de Rap



Pioneiros do Hip Hop colombiano, o grupo foi formado em 1990 e foi o primeiro a integrar uma mulher, a saudosa Melissa, falecida em um acidente de carro. O grupo lançou dois discos, o Contra a Parede, de 1995, e o Revolução, de 1997. As letras do Gotas de Rap abordam a situação da Colômbia, falam de drogas, guerrilhas, sequestros, pobreza e a corrupção. O grupo idealizou em meados dos anos 90 a Ópera Rap, um projeto que integrou o teatro e o Hip Hop. Em 1996, junto de outros grupos do país, o Gotas de Rap planejou o supergrupo Colômbia Cartel Rap, reunindo boa parte da cena local, porém o projeto não vingou e gravaram apenas a música "Ghetto Boy".


Canserbero



Nascido em Caracas em 1988, Tirone José González Orama, mais conhecido como Canserbero foi um dos maiores nomes do rap venezuelano. Em 2015 o rapper foi encontrado morto do lado de fora do edifício Camino Real, na cidade de Maracay. Não se sabe o motivo, mas existem várias hipóteses sobre sua morte. Em vida o artista lançou dois álbuns, o Vida, de 2010, e Morte, de 2012, também participou de álbuns colaborativos com outros artistas locais. Influenciado pelo rock, sobretudo o hardrock, Canserbero tinha um estilo afiado e contundente, muito inspirado pelo rap dos anos 90 e o experimentalismo dos anos 2000.


Se Armó Kokoa



Do Uruguai as vozes das minas do Se Armó Kokoa, o S.A.K. o grupo foi formado em 2016 por três artistas combativas: Virginia (Viky Style), Fabiana (Fabik) e Eugenia. Além de levantarem a bandeira do femenismos, as três pretas também lutam contra o racismo e militam contra o alagamento dos afrouruguaios. Em 2018 lançaram o álbum Levántate, que traduz em forma de música toda essa essência das guerreiras. Em 2020 deram luz ao single "La Voz de las Sin Voz". O nome do grupo, em tradução, seria algo como "Com o Coração Armado".


Callao Cartel



Grupo peruano formado em 2004 por Nesio, Kasike, Salsa, Dcertor e 2Jota. Kasike integrou o duo La Bemba, em 1997, porém, após o outro membro partir para Nova Iorque, seguir em carreira solo, até se unir a Nesio e Salsa no projeto Callao Cartel. O primeiro trabalho do grupo foi a demo De Klle, com o embrião das músicas de sucesso do Callao. A fita percorreu o circuito underground e chamou a atenção pelo seu conteúdo que descrevia a vida no Peru, a criminalidade, o mundo das drogas e as questões sociais que envolvem os jovens da periferia do país.


Mustafá Yoda



Apesar de ser de Buenos Aires, foi em Córdoba que Mustafá Yoda se destacou ao vencer os dois primeiros campeonatos de freestyle do país, em 2003 e 2004. Antes disso, em 1998, integrou o grupo La Organización, um trio de rap junto com Apolo Novax e Chilli Parker. La Organización lançou no ano 2000 o disco independente La diferencia, o primeiro de Mustafá Yoda. Paralelamente, o rapper dava os primeiros passos para a criação da Sudametrica, selo pelo qual lançou o álbum coletânea Sacando Água del Desierto, de 2009. Em carreira solo, Yoda lançou os discos Cuentos de Chico Para Grandes (2004),  Prisma El Elemental (2006), Imaquimar (2008) e La Poderosa (2019). Mustafá é um artista com grande engarrafamento social e ministra oficinas de Hip Hop pela Argentina.


Repi Guarani 



Repi Guarani é um grupo Paraguaio de Pedro Juan Caballero, fronteira com o Brasil. O Submundo do Som já entrevistou o grupo e você pode ler aqui. Repi Guarani nasceu em 2016 e é formado por Giulliano Abbate (30) e Felipe Recalde (Feelrec), mais um MC de apoio, o Félix Alvarenga (FLX), além do produtor Gleison Derzi. O primeiro trabalho do grupo foi uma demotape e em 2018 lançaram o primeiro trabalho, o disco Epic com letras e castellano, guarani e até português. O grupo, apesar de ter como estilo predominante o boombap, passeou bastante no trap para a construção de seu álbum. Com quinze faixas, o disco Epic é uma boa amostra da diversidade da cena paraguaia.


RANSA Company




RANSA é o acrônimo para Revolución Artística Nacional Sociedad Anónima, grupo formado em 1999 no bairro de Carapugo, em Quito, Equador. O idealizador do projeto é o MC Viejo Alka, alcunha de Alexis Fabricio, um dos pioneiros do Hip Hop no país. Antes do Ransa Company, Alexis passou por outros grupos embrionários como o 18-49, La Pureza e Asfalto. Formado por Viejo Alka, Has, Iguana MC, Hopper, Nico e Lebu o Ransa Company lançou em 2001 dei primeiro trabalho, o álbum El Mensaje. Em 2003, o disco El Regreso a la Revolución, na sequência lançaram os álbuns Los Que Cayeron en el Pantano/0% Novesterol - Vol 1, de 2004; La Oscuridad de Mí Cuarto /0% Novesterol - Vol 2, de 2004; Lo Que El Viento Llevo/ 0% Novesterol - Vol 3, de 2006; Sentidos de Carapungo, de 2007; El Otro Escenario, de 2008; North Side Killah Rap Ecuatoriano, de 2009; e Alto Voltaje, de 2014. Em 2021 o Ransa lança um disco comemorativo de 20 anos, com 12 faixas.


Alwa



Nascida na cidade de El Alto, vizinha de La Paz, Alwa mescla o rap com instrumentos andinos, como a zanponã (gaita de pã) e o charango. Alwa é da etnia Aimara, seu nome no idioma originário significa "amanhacer". Suas referências são o rapper Warrior, do Peru, Alika, da Argentina/Uruguai, e o porto-riquenho Residente. El Alto também é conhecida por outros rappers como o grupo Ukamau y Ke, que em aimara significa "é assim e pronto", liderado por Abraham Bojorquez, que também comanda a posse Wayna Rap ("rap jovem", em aimara). Alwa lançou o clipe "Principio Sin Fin", com o auxílio de um produtor da capital boliviana, a MC se apresenta em feiras do livro e ventos da faculdade onde estuda Publicidade e Marketing. Vinda se uma família tradicional aimara - onde deixa explícita sua cultura em suas vestes e fala - sem nenhuma referência familiar na música e muito menos no Hip Hop, Alwa é a primeira mulher de sua etnia a fazer rap e prepara um álbum ainda para 2022.


Tiro de Gracia



Em 1991, Juan Sativo, Lengua Dura, Explícito y DJ Borna, oriundos de Santiago, se unem e criam o Tiro de Gracia, uma das referências do Hip Hop chileno. Posteriormente, Explícito e DJ Borna deixam o grupo e no lugar chegam Zaturno, Camilo Cintolesi e Patricio "Adonai" Loaiza, sendo essa a formação mais conhecida do grupo. Em 1997 o grupo lança seu primeiro álbum, Ser Humano!!, com 21 faixas, onde despontaram músicas de sucesso como "El Juego Verdadero", "Viaje Sin Rumbo", "Melaza" e "Chupacabras". O Tiro de Gracia seguiu trabalhando nos anos 2000 e colocou nas ruas mais quatro discos: Decisão, de 1999; Retorno de Misericórdia, de 2001; Patrón del Vicio, de 2003; Impacto Certero, 2004; Música da Vida, de 2010.

  


Lianna



Juliana Valentina Toro Velásquez, vulgo Lianna, natural de Bogotá, iniciou sua trajetória no rap aos 16, no grupo Conexión Frontal, no ano 2000. Pelo selo Áudio Lirica passa a fazer feat com vários artistas da cena colombiana. Seu primeiro álbum é o EP LIANNA, lançado em 2008, na sequência lança o disco Paciencia, de 2012 e se estabelece como das maiores vozes da música negra latina, indo além do rap e passeando pelo R&B e soul, além de atuar em danças. Lianna também integrou as bandas Pulenta e Transatlantic, projetos que a permitiu participar do Lollapalooza Chile e outro festival em Berlim. Com a primeira banda gravou o álbum Hit the World, em 2015, e com a segunda o disco Primera Viagem, em 2012.


Bola 8



Mike Dee, um afroargentino que iniciou-se no Hip Hop no começo dos anos 80 através do breaking, participou da música "El golpe de tu corazón", da famosa banda El satánico Doctor Cadillac, com isso despontou sua carreira. Depois de se instalar em Rosário, Mike se junta a DJ Magic e formam o grupo Bola 8, por volta de 1994. O primeiro disco do grupo é El Sonido de la Calle, em 1996. No ano seguinte, o grupo participa de um dos Marcos do rap argentino, a coletânea Nación Hip Hop, disco que reuniu boa parte da cena local, sobretudo aqueles que tinham dificuldades em gravar. Em 1998 lançam o trabalho Negro de X Vida, mas o sucesso vem no disco do ano 2000, Bolacalipsis.


Realengos



O grupo é formado por dois MC’s, Chester e Rotwaila, e é um dos expoentes do Hip Hop venezuelano. O nome Realengos surge de uma bronca da mãe de Chester que, em uma tarde, atordoada por horas ensaio da dupla, gritou para os MC's: “para com esse barulho, parecem cachorros de realengos”. A partir daí “Realengos” se tornou a identidade desses rappers. Realengos é sinônimo de rebeldia, quebra de padrão, cachorros sem dono, marginais com uma causa construtiva, como afirma Chester em entrevista aqui para o Submundo do Som. O Realengos lançou dois álbuns impressionantes, Engendros, de 2008, e Malpas, de 2018. Nesse intervalo teve o EP Heroes del Hip Hop, de 2014. O álbum Engendros abriga as primeiras gravações de dois ícones do Hip Hop do país: Gabylonia e Canserbero.


La Pozze Latina


Considerados os pioneiros do rap chileno, ao lado do grupo Los Panteras Negras. La Pozze Latina foi formado em 1990 em uma comuna de Santiago por Jimmy Fernández, o Funky Jefs, e Rodrigo "Johan" Méndez, também conhecido como MC Rody ou Too Small. Funky Jefs é o MC responsável pelas rimas, enquanto Johan fica a encargo dos instrumentais com sua bateria eletrônica Roland e um Amostrador Ensoniq EPS. Em 1993, Hernán del Canto retorna do exilio na Alemanha e sob o nome de Chato X (ou X-Ize) passa a integrar o Pozze Latina, porém MC Rody parte para a Holanda, retornando somente em 1995. Em 1993 lançam o primeiro álbum, intitulado Pozzeídos por la Ilusión, onde sairam músicas como "Chica Elétrica" e "Con el Color de mi Aliento", sendo esse o primeiro clipe do Hip Hop latino a ser transmitido pela MTV Latin, em 1994. O grupo ainda lançou os discos Una Nueva Religión, de 1996, e Desde el Mundo de los Espejos, de 1999.


Missmaella



Missmaella é um jogo de palavras e significa algo como "senhorita de si mesma". A rapper paraguaia é um dos representantes da nova escola do Hip Hop do país, iniciando sua trajetória na música no final de 2016, onde lançou o EP Aprendiendo a Volar, com cinco faixas. O álbum fez com que a MC se apresentasse em diversos eventos do Paraguai. Em fevereiro de 2019 lançou o single "Toma", que posteriormente ganhou videoclipe e projetou ainda mais Missmaella. Em 2020 vem o primeiro disco cheio da artista: El Circo, com sete faixas que abordam o universo intimista e introspectivo, ao mesmo tempo que passa por questões sociais e busca fusções com o R&B, funk e o trap.


Droopy G



O rapper afro-peruano Isaac Shamar, mais conhecido como Droopy G, é responsável pelo primeiro disco de rap do Peru, o álbum Cadenas Invisíveis, de 1998. Droopy G foi membro da Mafia Organisada, um.dos primeiros grupos peruanos, ao lado do Golpeando la Calle. O rapper é oriundo de Lima, do distrito de Surquillo, e se interessou pelo Hip Hop após contato com os discos de um colecionador estadunidense que namorava sua irmã, Isaac via as capas dos LP's e se identificava com o fato dos artistas serem negros como ele. Issac esteve presente no chamado "batismo do rap peruano" ao integrar o coletivo Peruvian Hip Hop Moviment, a posse foi formada após uma apresentação de Droopy G e o grupo Golpeando la Calle na rotatória no Kennedy Park, onde colaram, onde também colaram  grafiteiros, b.boys e DJ's.

    


Natural Poesia



Oriunda de Sucre, na Bolívia, a MC Natural Poesia desde se apaixonou pela música e aprendeu instrumentos e canto. Aos 19 anos se encontrou com a cultura Hip Hop, primeiramente improvisando, depois compondo suas próprias múeicas Natural tem influências versatéis que vão do como jazz, soul, rap, salsa, cumbia, punk, nu metal e reggae. Em 2020 a MC lança o álbum Melomania, com sete músicas muito bem construídas, e que ganhou disco físico, produzido pela 24-7 StudioFamilia da cidade de La Paz por Kalijah beatmeyka, o produtor de Natural Poesia. Um dos sucessos do álbum foi a música "Ella", que preza pelo poder femenino e que ganhou um remix com a participação de BlessOne.


Víctimas del Sistema



Nan nasceu em Misiones, na Argentina, porém bem cedo foi viver com sua família no Uruguai. Lá, seus pais, guerrilheiros, foram perseguidos pelos militares e a família partiu para o exílio na Dinamarca. Lá Nan conhece o breaking, o rap e a cultura Hip Hop como um todo. Quando regressa ao Uruguai traz a cultura em sua bagagem e inicia o movimento em terras uruguaias. Em 1988, sob o pseudônimo de D-Ment, Nan passa a rimar com OSKi, alcunha de Oscar Romero, e em 1989 criam o grupo VDS, o Víctimas del Sistema. Em 1995, ao lado de outros pioneiros uruguaios, o grupo Fun You Stupid, o VDS lança uma fita K7 compartilhada, com quatro faixas de cada banda. Ainda em 1995 lançam sua primeira demo com quatro faixas: "Abran la Mente", "1,2 va 3 Pirados en la Esquina", "Bienvenido a la Noche Oscura" e "999 Línea Muerta". Em 1997 lançam um EP titulado 1997. No ano seguinte publicam um álbum ao vivo com 8 faixas e em 2013 o disco Antología, com 11 músicas.


MafiAndina



Formado em 2017 pelo duo DJ Mic (José Microfóno, produtor) e a MC Taki Amaru, o MafiAndina é um poderoso projeto de rap equatoriano com rimas em castelhano e kichwa, língua dos povos originários dos Andes, usando nos combativos versos do grupo contra a violência de gênero e o empoderamento das mulheres. Taki Amaru é colombiana, nasceu em Bogotá e aos 14 anos migrou para o Equador onde se encontrou na comunidade de Morales Chupa, na cidade de Imbabura, lá teve contato com a cultura kichwa e toda a visão política, histórica, identidária e medicinal com que o idioma se conectava. Em 2019 o MafiAndina participa do álbum Nacimiento, de Danilo Arroyo, na música "Runapacha". Em 2021 integram o projeto de música andina, o Curumbao, com a música "El Mensajero". No mesmo ano o grupo lança o single "Humanidad" e em 2022 estreiam o álbum Puka Pacha, com sete faixas.

                                       


Rapper School



O grupo Rapper School, também conhecido como "La Promocion Lunatika", é um dos pilares do Hip Hop peruano. Formado em 1999 por Norick, Warrior, DJ Deported e Street no colégio Scipión E. Llona, no bairro de Santa Cruz, em Miraflores, na cidade de Lima, na qual os integrantes do grupo frequentavam o Parque Kennedy para os encontros de rap. Antes de atenderem pelo nome de Rapper School, o grupo se chamava La Agony. O destaque veio em 2001, quando passam a se apresentar em eventos em Lima e arredores. Em 2004 lançam o primeiro álbum Puliendo el Micro". Em 2006 lançam o disco Crônikas al Tiempo, o qual é reeditado em 2009 em uma versão especial. Em 2012 sai o disco Con la Fe, em 2014 o disco De Don't Play, em 2017 o álbum Mounstros de Sangre Azul e em 2021 o disco The End. O Rapper School é tido como um dos melhores grupos de língua espanhola da América Latina.


Kuña Street



Formado pelas MC's Lady K, da cidade de San Lorenzo, e por Soujah, da cidade de Encarnación, o dup paraguaio nasceu em 2019. O nome Kuña Street mescla o guarani e o inglês, em tradução, significa: Mulher da Rua. As minas ainda não lançaram disco, mas vêm chamando a atenção através dos singles que colocaram na pista, em 2019 se juntaram a Mismaella na música "Máscaras", qual ganhou video clipe e mostra a força do rap paraguaio feito pelas mulheres. Em 2021 lançaram o EP 1, com três faixas: "Save Me", "Sigue" e "Wake Up". Também lançaram os sigles "Vengo" (que ganhou clipe) e "Raíces Profundas", ambas de 2009.

   


La Etnia



Pioneiros do rap colombiano, o La Etnia nasce no bairro de Las Cruces, na área sudeste do centro de Bogotá. Começaram como b.boys quando o breaking chegou ao país no início dos anos 80. Gradativamente se converteram em DJ's e MC's e como muito esforço e falta de apoio conseguiram em 1994 colocar na rua seu primeiro álbum, demotape El Ataque del Metano, trabalho que correu o underground e projetou o La Etnia como uma das principais vozes do rap colombiano. Porém, algumas músicas de 1990 a 1993 ficaram de fora, devido a falta de recursos para produção, como "Alto Al Secuestro" e "Cantando Saltando". La Etnia seguiu trabalhando e lançando discos, sendo eles Malicia Indígena, de 1997; Criminología, de 1999; Stress, Dolor & Adrenalina, de 2001; Real, de 2004; Por Siempre, de 2007; La Voz de la Calle, de 2011; Universal, de 2013; 5-27 Internacional, de 2015; e 10, de 2019.

   


RapBrina



Sabrina Varas, conhecida como Rapbrina, é uma MC de Santiago. Iniciou sua caminhada no rap em 2010. Conheceu o Hip Hop na adolescência quando, na esquina da comunidade da Recoleta, ia à boate Melody para dançar. No final de 1997, na Estacion Mapocho, um dos marcos da cena chilena, Sabrina, através das crew de breaking, entra de vez na cultura. Influenciada por grupos do Chile como o Makiza e seu álbum Vida Salvaje, além de outros como Panteras Negras, Fuerza Hip Hop, Teo Casta, La Orden Nueve Ojos e Demencia Local, Rapbrina passa a rimar e em 2018 passa a desenhar aquele que seria seu primeiro disco Queriendo Algo En Bitacora. Em 2019, lança o álbum Amnesia, junto do DJ Bigshowteks.

 


Jazzy Mel 



Jazzy Mel, ou Jezzy Mel, é um dos caso mais curiosos do rap sulamericano. Nascido no Uruguai, Mario Pietruszka se criou na Argentina e lançou discos no Brasil. Fugindo da ditadura militar uruguaia, a família de Mário desembarca em Buenos Aires, nos 80 chega o breaking e vira febre na Argentina com diversos b.boys e crews. No entanto, na segunda metade da década o Hip Hop porteño é quase extinto e sabendo que no Brasil o movimento ainda batia forte, Mario veio para São Paulo e fez parte da cena da São Bento. Donizete da TNT soube do gringo que rimava em inglês e produziu dois LPs de Jezzy Mel: Jezzy Mel Rock, de 1989; e I'm Back Again, de 1990. A Auta inflação e o desastre do governo Collor obrigaram Mario a retornar para a Argentina, lá mudou a grafia de seu nome de Jezzy para Jazzy e lançou o disco Jazzy Mel, de 1991, onde explodiu com músicas como "Fue Amor", "Qué Pasa", "Olé Olé Olé" e "Afro Latino". Jazzy Mel lançou alguns discos de remix e o álbum Tocala de Nuevo Sam, de 1992, e foi viver na Europa. Depois regressou à Argentina e passou a atuar como produtor em seu estúdio.


Noisy MC



Arista de La Paz que literalmente faz barulho e carrega essa responsa no nome. Noisy MC dquiriu gosto pela música com seu pai, que costumava ouvir trova e bandas clássicas de diversos géneros musicais. Conheceu o rap através do freestyle e não demorou para começar a rimar e compor suas prpoprias músicas. Em 2021, Noisy MC lança seu primeiro álbum, o EP Medusa, com cinco faixas. O titulo do álbum faz alusão à deusa grega por sua importância, beleza e inteligência; mostrando-se como guardiã e protetora das mulheres, como lembra a artista. Expandindo sua veia artistica, a cantora lançou em 2021 o ábum Soul&Rou, que como o nome entrega foge um pouco da estética do rap e passeia pelo soul, rock e R&B, mas sem deixar de ser uma peça do Hip Hop.


La Corte



No ano de 1997, o DJ 13 (alcunha de Tony Armas) e El Juez (nome de Bostas Brain saem em turnê por diversas cidades estadunidenses e mexicanas a fim de divulgarem e trabalharem o selo Shit Caliente. Em 1998, Bostas Brain apresenta alguns amigos para o DJ 13, sendo eles Ruso 40 (a.k.a. Big Smoke) e Bless Killa (a.k.a. Alto Rango). Os quatro se unem e criam o grupo La Corte, com influências do gangsta rap, do jazz e uma inclinação para ritmos afrocaribenhos, como a salsa. De forma caseira, na casa de Tony Armas, o grupo grava uma fita demo que se caracteriza por todas essas referências. Mais tarde El Cubano (a.k.a Cuarto Bate ou Big Habana) também passa a fazer parte do coletivo. Também passaram por La Corte os rappers El Cura (a.k.a. Ristaman) e E.G. (a.k.a. Rotwaila, e integrante do grupo Realengos). Em 1998 o grupo lança seu primeiro disco, o álbum Código Demente, pautado no rap gangsta e recheado de influências latinas. No ano 2000, La Corte lança seu segundo disco, esse intitulado Imperia, e em 2002 o disco Lo Mejor de la Corte... Directo de las Cloacas.

  


Alika



Alika nasceu em Montevidéu, no Uruguai, filha de mãe paraguaia e pai uruguaio, aos seis anos de idade a família migra para a Argentina. Aos 17 anos, ao lado de Malena D'alessio, forma o icônico Actitud María Marta, em 1994, época que o rap argentino ainda se desenvolvia. Em 1996 lançam o álbum Acorralar la Bestia. Alika seguiu no grupo até 1999, quando partiu para carreira solo. Em sua nova fase explorou a cultura rastafari e sonoridades jamaicanas, sobretudo o ragga. No ano 2000 a MC lança seu primeiro álbum solo, o disco No Dejes Que Re Paren. Em 2003 coloca na rua o trabalho Sin Intermediarios. Em 2006 foi a vez de lançar Razón Meditación Acción e em 2008 o álbum Educate Yourself. Em 2009 a cantora lança o trabalho colaborativo como o músico de sub e produtor da Guiana Mad Profesor com o disco Mad Professor Meets Alika. Em 2011 o primeiro ao vivo com o álbum Alika Live Niceto Club, no mesmo ano lança a mixtape Unidad y Respeto, no ano seguinte o disco de remixes intitulado Dub Yourself e em 2014 lança o disco Mi Palabra Mi Alma.


Hatrapadah



MC de Lima, capital peruana, que vem se destacando por sua lirica afiada, temas que fogem do convencional ao mesmo tempo que narram a vida de uma mulher periférica no Peru. As bases instrumentais das canções de Hatrapadah abraçam uma estética contemporânea e muitas vezes ousadas, como no disco Bienvenidos Ritmos Turbios, de 2021, em que flerta com o eletrônico e o rock, com produções da Sepharina. Hatrapadah estreou em 2014 com o EP Temas Libres, de quatro faixas. Em 2016 lançou o disco Rubia Negra, que saiu em mídia física com treze faixas e duas bônus track. Em dezembro de 2018 a artista lançou o álbum Temas Cortos Como Mi Tiempo produzido pelo selo La RecOn. E em 2021 lançou dois álbuns, o Bienvenidos Ritmos Turbios e o Hip Rock.


Chango MC



Oriundo de Quito, Chango começou sua trajetória na música na banda de rap-core Bong, aos 16 anos. Em 1998, dedicado ao rap, passa a fazer parte da cena do freestyle e a gravar suas primeiras demos e marcando presença no underground equatoriano. Chango MC, forma o grupo Equinoxio Flow, um dos mais representativos e contundentes do país. Em 2000 cria o grupo Zecta Reales Expoentes, o ZRE, junto dos MC's Bronson, K-Elemento e Cako. Com o ZRE, Chango MC grava vários projetos e viaja se apresentando por toda Quito. Depois, Passa a integrar o grupo Artífices Del Verso, onde também se assumo como produtor.

 


Flaco Flow y Melanina



Formado por Dago Ramos, o Flaco Flow, e Hugo Caicedo, o Melanina, além do DJ e produtor Bernardo Guevara, o Benny B. O duo surge em meados de 2002 em Bogotá, após integrarem vários projetos em Cali e outras cidades colombianas. Na capital, produzem seu primeiro álbum, um EP intitulado Polizones Demo, onde apresentavam seu maior sucesso, a música "La Jungla". Em 2003 fazem uma turnê pela Europa, principalmente na Suíça, onde mostraram suas canções. Em 2004 lançam o disco Polizones, termo usado para imigrantes, e também criam o selo Polizón Records. Em junho de 2005, após nova turnê pelo velho continente, Flaco Flow y Melanina lançam o álbum De Barrio en Barrio.


Coleccionistas de Destinos



Os uruguaios Elosue e Nuelky se juntaram em 2008 em Salto, fronteira com a Argentina, e formaram o grupo Coleccionistas de Destinos. Em 2012 o duo lança o álbum Nueve Nuevas, com nove faixas. Em 2013 lançam o álbum: Decodificando Mensajes Callejeras (D.M.C.). No ano de 2014 Elosue lança o disco Cartasis, com sete músicas. O álbum Amor A Primera En Una Cita A Ciegas é lançado em 2015 e traz 19 canções. Em 2016, Nuelky lançou um álbum solo, o disco De Ordem Caótico, com 19 faixas e diversas participações do underground do Uruguai, além de seu parceiro de grupo, o rapper Elosue, que no mesmo ano lança o disco solo El Tiempo Con Su Método Consome Todo, de 12 faixas e com participação de Nuelky.


Bônus - Pacto Latino

Do Brasil temos o Pacto Latino, um projeto do Grajaú, no extremo sul de São Paulo, um dos primeiros grupos do país a mescalrem o português e o castelhano em suas canções, rompendo as barreiras linguisticas do ra latino-americano. O projeto tinha El Pesquisador (in memoriam),  Anexo F, Criolo, quando ainda atendia pelo nome de Ciolo Doido, e Drezz, principal responsável pelas rimas em espanhol. O grupo lançou em 2006 o seu único álbum, o Santa Loucura Abençoada, um compilado de 22 músicas produzidas entre 2000 e 2006 e trouxe participações de artista do Chile, EUA, França e Itália.


Bônus II - Xemalami

O rapper Drezz, enquanto seguia com o Pacto Latino, mantinha no Grajaú um projeto que unia xadrez e Hip Hop, e daí vem o nome Xeque Mate La Missión. Com a dispersão do Pacto Latino, Drezz se uniu a Hyt e deu voz ao projeto, nascendo o Xemalami grupo de rap. Em 2016 lançaram o disco Sudamerica: As Peças Pretas Jogam. Também colocaram na rua duas coletâneas com o titulo São Vários, além de singles e cyphers. Em 2022 lançam o EP En Passant que continua trazendo essa mescla de idiomas e temas contundentes do dia a dia. (clique aqui e confira uma entrevista do Submundo do Som com o grupo Xemalami)


Veja Também:

Entrevista | Noisy MC: O Barulho Poetico Direto De La Paz - Bolívia - clique aqui
Entrevista | Nan: De Exilado A Pioneiro Do Hip Hop Uruguaio - clique aqui
Entrevista | Natrual Poesia O Rap De Sucre - Bolívia - clique aqui
Entrevista | Chester Um Expoente Do Hip Hop Da Venezuela - clique aqui
Entrevista | Rapbrina: A Força Da Mulher Chilena No Hip Hop - clique aqui
Entrevista | Viejo Alka - Pioneiro Do Hip Hop No Equador - clique aqui
Entrevista | "Fala-Se Do Que Se Vive Diariamente Em Medellín" - SL4 Lopero Rapper Colombiano - clique aqui
Entevista | Martín A. Biaggini Autor Do Livro RAP De Acá - La História Del Rap En Argentina - clique aqui
6 Documentários Para Entender O Hip Hop Na Argentina - clique aqui
Entrevista Com O Grupo Uruguaio Dostrescinco - clique aqui
Entrevista Com Areli Uma Das Vozes Do Rap Argentino - clique aqui
Entrevista Com O Grupo Repi Guaraní, Do Paraguai - clique aqui
Entrevista Com A Banda Revolber FX E O Rock Na Tríplice Fronteira - clique aqui

Um comentário: